Escolas municipais registram maior número de casos de covid-19 - ES360

Escolas municipais registram maior número de casos de covid-19

Comparativo foi feito entre as unidades das redes pública e privada durante o mês de outubro pela Secretaria de Estado da Saúde

Os estudantes das escolas municipais capixabas apresentam a maior taxa de contaminação de covid-19. Cerca de 57,4% deles já contraíram a doença. Entre os alunos da rede pública estadual, 32,9% foram infectados. E na rede privada, apenas 9,7% foram diagnosticados com o novo coronavírus. A estimativa é que 11,1% de todos estudantes do estado tenham sido contaminados.

As informações foram divulgadas nesta segunda-feira (21) pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde). Porém, fazem referência ao mês de outubro, quando foi realizado o estudo em 76 escolas dos 13 municípios escolhidos para a realização da pesquisa. Ainda assim, é a principal fonte de informações sobre a circulação do vírus dentro da comunidade escolar.

Dos estudantes contaminados, 37,9% deles apresentaram sintomas característicos da doença, como cefaleia, congestão nasal, tosse e dores de garganta, além da perda de olfato e paladar. “Isso significa dizer que aproximadamente 60% dos estudantes positivos foram assintomáticos”, ressalta Cristiana Costa Gomes, médica infectologista da Subsecretaria de Estado de Vigilância em Saúde.

Apesar do alto índice de contaminação, o gerente Estadual de Vigilância em Saúde, Orlei Cardoso, ressalta a importância dos estudantes e seus familiares manterem todos os protocolos de segurança contra a disseminação da covid. “Os resultados de testes positivos não devem ser interpretados como sendo pessoas imunes. As evidências sobre a duração e o papel dos anticorpos para a covid-19 ainda estão sendo construídas. Precisamos entender suas nuances dentro de cada situação”.

Profissionais da Educação também foram analisados

Os trabalhadores da Educação também foram avaliados pelo Inquérito Escolar. De acordo com o levantamento, 7,8% de todos os profissionais da área foram infectados. Ao agrupá-los por idade, sexo, raça, cargo, tipo de escolas em que atuam e nível de ensino, a prevalência da doença se mostrou mais comum entre os pretos ou pardos (62,8%).

Quanto ao cargo dos infectados, professores correspondem a 49% deles. Logo, 51% das pessoas que contraíram o novo coronavírus desempenham funções administrativas e de limpeza, entre outros.

Próximos passos

Diante dos resultados apresentados, a Sesa sugere que seja mantido o monitoramento da doença no ambiente escolar. Para isso, algumas questões estão sendo avaliadas:

– A continuidade do Inquérito Escolar irá depender do retorno às aulas das escolas envolvidas neste estudo;

– Caso seja viável, sugere-se a avaliação de risco entre crianças que retornaram e as que não restaram às escolas;

– Para manter a Sesa e Governo informados sobre a situação no estado, está em planejamento um inquérito de fluxo em pontos de grande movimento nos municípios estudados;

– Recomenda-se a utilização de testes de resultado rápido para próximos estudos.

Confira na íntegra a divulgação do Inquérito Escolar


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Primeiro trecho das obras do Portal do Príncipe é aberto em Vitória

Mundo

Biden toma posse e inicia guinada contra legado de Trump

Dia a dia

Espírito Santo não corre risco de desabastecimento de oxigênio, garante a Sesa

Dia a dia

Primeiro lote de vacina acaba na sexta-feira em municípios da Grande Vitória