Entenda como funcionam os golpes com perfis falsos de restaurantes no Instagram - ES360

Entenda como funcionam os golpes com perfis falsos de restaurantes no Instagram

Com falsas promoções, criminosos usam aplicativo para conseguir o número de telefone dos clientes para aplicar o golpe do pedido de transferência no WhatsApp. Veja dicas de como se proteger

A mensagem chega geralmente com uma proposta irrecusável: um bom desconto ou gratuidade em restaurantes e bares badalados da Grande Vitória e até hotéis no Espírito Santo, vindos do que aparentemente são os perfis oficiais dos estabelecimentos. Para conseguir o desconto ou o voucher, a pessoa só precisa completar o cadastro enviando dados como nome e número de telefone e depois enviar um número de confirmação que chega via SMS.

Esse é mais um método que criminosos estão usando para ter acesso ao WhatsApp das vítimas. O objetivo é o mesmo de outro conhecido golpe feito por meio do aplicativo, que é o pedido de transferência de dinheiro para contatos do telefone. Os perfis clonados do Instagram copiam as fotos do perfil oficial, mas tem uma letra ou símbolo que o diferencia do oficial.

Mensagem de golpe do Instagram. Foto: Reprodução

Na Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC) da Polícia Civil do Espírito Santo, a média é de registro de uma ocorrência por dia de clonagem do WhatsApp. Não há estimativa sobre o número de restaurantes e estabelecimentos que tiveram perfis clonados porque os casos são classificados como estelionato em geral, mas o delegado Brenno Andrade cita que entre os perfis já clonados estão de famosos restaurantes de saladas e massas da Grande Vitória e hotéis do litoral.

“É uma roupagem nova do golpe de invasão do Whatsapp. A pessoa recebe a mensagem de algo que nem se inscreveu, portanto é preciso desconfiar. Se não se cadastrou, não tem sentido ser premiado. Ativar a verificação em duas etapas evita que o criminoso clone o aplicativo”, orienta.

Uma aposentada de 66 anos – que não quis se identificar – conta que estranhou ao receber o pedido de uma casa de massas para segui-la. A mensagem dizia ser da assessoria do local e informava que a cliente ganhou 40% de desconto na loja, mas para isso precisava enviar o número de telefone. Logo depois, pediam a numeração que chegou por SMS.

Cuidados para não ser lesado

O delegado Brenno Andrade orienta que a primeira coisa a fazer é desconfiar. Caso alguém peça dinheiro por mensagem no aplicativo, a pessoa deve sempre verificar o número do banco e agência bancária. Outra dica do delegado é fazer uma chamada de áudio ou vídeo para confirmar a identidade da pessoa que está pedindo os valores.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Há um ano, covid-19 era identificada no Espírito Santo

Dia a dia

Governo do ES abre mais de 10 leitos de UTI em Vitória

Dia a dia

Mapa de Risco: Apenas Ibatiba está em risco alto no Espírito Santo

Dinheiro

Motoristas questionam cobrança de imposto do diesel em nota fiscal