Em plena crise da pandemia, deputados recebem antecipação de Natal - ES360

Em plena crise da pandemia, deputados recebem antecipação de Natal

Possivelmente por conta dos ataques sofridos pelos bolsonaristas, há uma certa preservação do Legislativo e do Judiciário. As falhas, erros e abusos cometidos por integrantes dos dois poderes é apontada, mas a intensidade da crítica é menor quando comparada a outros tempos. O caso recente, mais flagrante, é o dos gastos desses dois poderes. Enquanto grande parte da população sofre as consequências econômicas, a crise passa longe de deputados estaduais, federais, senadores, desembargadores, ministros de tribunais superiores e por aí afora…

Os deputados federais e senadores estão, digamos, um pouco menos tristes com a pandemia neste mês de julho. Porque, apesar dela, seus recebimentos de dezembro foram antecipados, como acontece todos os anos. Explicando melhor: trata-se da chamada remuneração natalina, antecipada para os parlamentares na metade do ano. Por conta disso, seus vencimentos em junho, recebidos em julho, chegaram a R$ 50 mil.

Só para lembrar, conforme informação divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo, as verbas de gabinete dos parlamentares foram mantidas. Em termos gerais, são R$ 111 mil fixos mais o chamado cotão, valor variável entre R$ 30 mil e R$ 45 mil. O total gasto com um parlamentar federal neste mês pode chegar a R$ 206 mil. É bom repetir: só neste mês.

Assim como fizeram deputados federais e senadores, os deputados estaduais do Espírito Santo resolveram ignorar solenemente projeto apresentado para redução de seus salários durante a pandemia. A proposta, do deputado Luciano Machado (PV), foi chamada pelos seus colegas de “politiqueira”, “oportunista”, “demagógica”. E engavetada.

Quando chamados pelo governo do estado a oferecer sua “cota de sacrifício” na redução de gastos orçamentários, deputados estaduais e desembargadores apresentaram a modestíssima economia de 6% de redução de despesas. É bom repetir: 6% de redução de gastos próprios num estado com perda de 41% dos valores referentes aos royalties, e pelo menos 20% de receita própria. Num estado com milhares de trabalhadores formais e informais, comerciantes, profissionais liberais, empreendedores cujos rendimentos foram duramente afetados ou simplesmente zebrados.

Mas os parlamentares, os desembargadores, os ministros vivem num mundo paralelo, perfeito, sem vírus, onde o dinheiro brota de fontes inesgotáveis. O papel dos cidadãos nessa história? Fornecer os recursos para a fonte mágica e este mundo perfeito. Triste sina.

Antonio Carlos tem 32 anos de jornalismo. E um tempo bem maior no acompanhamento das notícias. Já viu muitos acontecimentos espantosos. Mas sempre se sente surpreendido por novos fatos, porque o inesperado é a maior qualidade das coberturas jornalísticas. E também da vida...

Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do ES360.


Comentários:

  • Uma lástima essa falta de sensibilidade e compromisso com o povo e os pagadores de impostos. É um distanciamento consciente, egoísta, que explica bem o abismo social que vivemos.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais Colunas
AstraZeneca pede autorização para uso emergencial de vacina contra covid-19 na Europa. Foto: Pexels

Covid: os (muitos) fatos do final de semana

Donald Trump. Foto: Reprodução/Facebook

Trump perde na Suprema Corte (e um vídeo esclarecedor)

Suprema Corte norte-americana rejeitou, por nove a zero, as alegações de fraude nas eleições na Pensilvânia; confira qual a importância dessa decisão e também como ela...

Um “quem ganha, quem perde” rápido sobre as eleições. Foto: Antonio Augusto/Ascom/TSE

Um “quem ganha, quem perde” rápido sobre as eleições

Trump participa de primeiro evento público após ter diagnóstico de Covid-19. Foto: Shealah Craighead/Official White House

Trump declara vitória (ou: o breve relato de uma longa noite)

Mesmo com vários estados ainda contando votos, presidente dos EUA afirma ter vencido a eleição, fala em fraude e ameaça recorrer à Suprema Corte dos EUA

Biden pressiona Trump a assinar pacote de socorro de US$ 900 bilhões. Foto: Reprodução

O que dizem as últimas pesquisas dos EUA

Biden pressiona Trump a assinar pacote de socorro de US$ 900 bilhões. Foto: Reprodução

Trump x Biden antecipa o debate no Brasil em 2022

Encontro entre candidato republicano e democrata tem temas parecidos com os discutidos hoje pelos brasileiros; estilo do atual presidente serve de referência para líderes...