Eleições 2020: Disputa para a prefeitura de Vila Velha promete ser competitiva - ES360

Eleições 2020: Disputa para a prefeitura de Vila Velha promete ser competitiva

Na Grande Vitória, o município é o único que o prefeito pode tentar a reeleição. E com cenário dividido em muitos candidatos a disputa deve ir para o segundo turno

Vista aerea de Vila Velha. Foto: Danielli Saquetto
Vista aérea de Vila Velha. Foto: Danielli Saquetto

Com muitos nomes conhecidos dos moradores, a disputa das eleições em Vila Velha em 2020 promete ser movimentada e dividir os eleitores da cidade canela-verde. Além do prefeito Max Filho (PSDB), que vai tentar a reeleição, políticos com mandato de deputado e até ex-prefeito que já tiveram votações expressivas na cidade vão entrar para disputar o voto dos eleitores.

Entre os quatro grandes municípios da Grande Vitória, Vila Velha é o único em que o atual prefeito, Max Filho (PSDB) pode tentar a reeleição no pleito de 2020. Os outros prefeitos já estão no final de um total de oito anos à frente da administração, por isso não podem se candidatar novamente.

Para o consultor em Marketing Político Darlan Campos, o cenário em Vila Velha é interessante porque há tendência de haver muitas candidaturas competitivas, inclusive a do próprio prefeito, que pode disputar a reeleição, com o diferencial de colocar o peso da máquina pública contra os adversários.

“Outro ponto importante é a presença dos desafiantes contra a administração. Um deles é o ex-prefeito Neucimar Fraga (PSD), que tem recall na cidade, já foi prefeito e deve se apresentar num cenário novo”, avalia.

Outros candidatos de votação expressiva e que são atualmente deputados estaduais podem entrar na disputa. É o caso do deputado Doutor Hércules (MDB), que está há muitos mandatos como deputado e tem votação expressiva na cidade.

Rafael Favatto (Patriota), também é deputado estadual com base em Vila Velha e foi candidato nas eleições passadas também tem nome expressivo na disputa. Outro que se coloca na disputa é o deputado estadual Hudson Leal, pelo Republicanos, com base política próxima ao Erick Musso e Amaro Neto.

O PT também vai ter a sua candidatura em Vila Velha, com Nunes, que já foi deputado estadual, mas na última eleição não conseguiu se reeleger.

Entre os vereadores, entram na disputa Ricardo Chiabai (Cidadania) e também Arnaldinho Borgo e Bruno Lorenzutti, os dois últimos disputando a indicação pelo Podemos. O PSB deve lançar ainda o deputado federal Ted Conti.

Darlan destacou ainda que a Rede vem com o candidato Rafael Primo, empresário que tem como base política o prefeito da Serra Audifax Barcelos. Já o Novo vai apresentar o procurador federal e professor Dalton Moraes.

Tem ainda o coronel do Corpo de Bombeiros Carlos Wagner, que disse que na próxima segunda-feira (7) define se será candidato. “Ele ainda não fechou partido e por ser militar pode lançar candidatura na última hora. Pode ser o único militar na disputa, pegando mais o discurso bolsonarista”, afirma o consultor em Marketing Político.

Com esse cenário dividido, a disputa é de quem vai para o segundo turno, afirma Darlan. “Com tantas candidaturas ninguém deve conseguir já 50% dos votos. Agora a disputa será de quem vai para o segundo turno. As eleições também devem ser movimentadas em Vila Velha”, destaca.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
País

Kassio Marques é nomeado ministro do Supremo Tribunal Federal

Política

‘Quando o chefe decide, o subordinado cumpre’, diz Bolsonaro sobre Pazuello

Dia a dia

Grande Vitória tem duas candidaturas a prefeito indeferidas

Dinheiro

Auxílio emergencial está contido em 2020 e não passará para 2021, diz secretário