Doria divulga vídeo de reunião com Pazuello para provar acordo - ES360

Doria divulga vídeo de reunião com Pazuello para provar acordo

Durante a reunião com governadores e membros da pasta, o ministro da Saúde disse que a compra das doses da vacina CoronaVac dá maior "liberdade e margem de manobra" ao programa de vacinação do governo federal

Com restrições, Doria anuncia reabertura de shoppings a partir de 1º de junho. Foto: Divulgação/Governo de São Paulo
João Doria. Foto: Divulgação/Governo de São Paulo

Após o presidente Jair Bolsonaro desautorizar o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e dizer que cancelará a proposta de compra de 46 milhões de doses da vacina CoronaVac, desenvolvida pelo governo de São Paulo e pela farmacêutica chinesa Sinovac, a equipe do governador João Doria divulgou a íntegra da reunião ocorrida nesta terça-feira (20), “em nome da transparência”.

> Casagrande se diz surpreso com recuo da aquisição das vacinas pelo governo

Durante a reunião com governadores e membros da pasta, o ministro da Saúde disse que a compra das doses da vacina CoronaVac dá maior “liberdade e margem de manobra” ao programa de vacinação do governo federal. Pazuello fala nos primeiros minutos do vídeo, que tem quase duas horas e meia de duração. O vídeo completo pode ser visto no link.

O general fala positivamente sobre a CoronaVac após apresentar um histórico do desenvolvimento das vacinas acompanhadas pelo Ministério da Saúde. “A vacina do Butantan será a vacina brasileira”, diz o ministro. “Fizemos uma carta em resposta ao ofício do Butantan, e esta carta é o compromisso da aquisição das vacinas que serão fabricadas até o início de janeiro, em torno de 46 milhões de doses, e essas vacinas servirão para iniciarmos a vacinação ainda em janeiro. Essa é nossa grande novidade”, declarou.

Pazuello revela que a estratégia do governo é aliar o uso das doses da Coronavac, que chegam em janeiro, com as 140 milhões de doses do laboratório AstraZeneca, considerada a principal aquisição do governo federal. “Conforme o processo ande daqui até lá, compramos mais ou então entram outras vacinas em prospeção no Brasil”, explicou o ministro, citando outras imunizações em teste no Brasil, como a Sinofarm chinesa, a Sputnik russa e a Covas americana.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Vila Velha e Serra entram para risco moderado de covid-19

Dia a dia

Covid-19: Espírito Santo tem 17 mortes e 1.773 casos em 24 horas

Dia a dia

Governo do Estado anuncia nova ampliação de leitos para covid-19

Dia a dia

Condomínios contratam empresas para recolher lixo durante greve de motoristas