Dicas de cuidados para passear com pets no verão - ES360

Dicas de cuidados para passear com pets no verão

O veterinário Mauricio Bacacici ensina como levar os pets para passear em segurança no verão

Cachorro com mangueira de água. Foto: Pixabay
Cachorro com mangueira de água. Foto: Pixabay

Quem é tutor de pet sabe: não tem calor que impeça o cachorro de querer sair para passear. No verão, porém, os donos precisam ter mais cuidado com o asfalto, horários e até duração do passeio, por conta das altas temperaturas. O veterinário Mauricio Bacacici dá dicas de como levar o pet para passear no verão sem colocar a saúde do animal em risco:

1 – Paradas

O efeito de desidratação do animal vindo do sol é intenso, por isso é necessário que mesmo em horários considerados mais frescos, o tutor pare para que o animal descanse de 10 em 10 minutos.

2 – Horários

Preferir os horários do dia com temperaturas mais amenas como até as 8 horas da manhã e a partir das 18 horas, é uma das principais medidas que devem ser adotadas pelos tutores. Estar atento a esses horários ajuda a evitar desidratação e queimaduras nos coxins, aquelas almofadinhas localizadas nas patas dos cachorros.

3 – Nada de sapatinhos

É importante que os tutores não coloquem sapatos nos animais no intuito de diminuir o risco de queimaduras, pois essa prática pode colocar em risco a saúde do animal. Um dos órgãos de troca de calor dos cães é justamente os coxins, os cachorros não transpiram através de sudorese como os seres humanos. Então se o tutor coloca um sapatinho, ele pode promover uma dificuldade de exercer a troca de calor e o animal pode acabar hiperventilando, esses são os pacientes admitidos em caráter de emergência nas clínicas.

4 – Hidratação

É importante que o cão tenha acesso a água corrente e em abundância para que não haja um quadro de desidratação.

5 – Gelo de Frutas

No verão a alimentação dos animais também pode ser diferente das outras épocas do ano e de acordo com o veterinário, gelos de frutas podem ser oferecidos ao longo do dia para melhorar o teor calórico e trabalhar a questão do controle de temperatura.

6 – Identificação

Nesta época do ano, há uma aglomeração de pessoas nos calçadões por isso é importante que o cachorro esteja com uma coleira que contém informações como o nome e o telefone do tutor, desta forma se o cão acabar se perdendo ou até mesmo fugindo quem o encontrar poderá entrar em contato com o tutor.

Posso levar o cachorro a praia?

Passear com cães na praia pode ser extremamente divertido, mas de acordo com o veterinário Maurício Becacici, o ideal é que quem tem intenção de levar o animal à praia consulte a prefeitura do município se existe alguma praia para esse fim.

”Algumas doenças são transmitidas dos animais para os seres humanos e vice-versa, então quando levamos um cão a praia existe a possibilidade dele urinar ou evacuar na areia ou na água e alguma pessoa acaba tendo um potencial de risco por contato direto a excreções corpóreas.”

Além disso de acordo com o veterinário, os cães trabalham com o olfato mais apurado e podem ter acesso a restos de mariscos e animais em decomposição, o que pode levar a quadros de intoxicação, infecção e perfuração, por exemplo.

Mais notícias
Mundo

Pelo segundo ano, Amazônia será tema de Bolsonaro em discurso na ONU

Dia a dia

Covid: pesquisadora sugere mudança em painel após ampliação de testagem

Cult

Vivências no sul capixaba viram rima na voz do rapper Derkkenner

Mundo

Rússia registrará segunda vacina contra covid-19 até 15 de outubro