Desembargador manda soltar Garotinho e Rosinha - ES360

Desembargador manda soltar Garotinho e Rosinha

Os dois ex-governadores haviam sido presos preventivamente na terça-feira por suspeitas de propinas de R$ 25 milhões

Investigados por fraude e desvios, Garotinho e Rosinha foram presos no Rio. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Menos de 24 horas após a prisão preventiva dos ex-governadores do Rio Anthony Garotinho e Rosinha Matheus, o desembargador Siro Darlan acolheu o pedido da defesa do casal e concedeu habeas corpus para a soltura. Os dois ex-governadores haviam sido presos preventivamente na terça-feira (3), por suspeitas de propinas de R$ 25 milhões nas obras de casas populares em Campos dos Goytacazes (RJ).

Prisão aconteceu na última terça-feira

O Ministério Público no Rio de Janeiro (MP-RJ) deflagrou na terça-feira, a Operação Secretum Domus, e prendeu os ex-governadores Anthony Garotinho e Rosinha Matheus. Também foram expedidos mandados contra outras três pessoas: Sérgio dos Santos Barcelos, Ângelo Alvarenga Cardoso Gomes e Gabriela Trindade Quintanilha.

Os cinco são investigados pelo superfaturamento em contratos celebrados entre a Prefeitura de Campos de Campos dos Goytacazes e a construtora Odebrecht, para a construção de casas populares dos programas “Morar Feliz I” e “Morar Feliz II” durante os dois mandatos de Rosinha como prefeita.

As ordens de prisão foram expedidas pela 2ª vara de Campos dos Goytacazes, na região norte fluminense, com base nas delações de dois executivos da construtora, Leandro Andrade Azevedo e Benedicto Barbosa da Silva Junior, fechadas no âmbito da Lava Jato.

O Ministério Público identificou o superfaturamento de mais de R$ 62 milhões nos contratos fechados com a Odebrecht. No total, o valor das licitações ultrapassaram R$ 1 bilhão. O prejuízo causado ao município pelo superfaturamento das obras, é de ao menos R$ 62 milhões, indica o MP.

De acordo com a Promotoria, as contratações, além de superfaturadas, foram “pagamento sistemático de quantias ilícitas, em espécie, em favor dos ex-governadores”. As investigações identificaram o recebimento de R$ 25 milhões em propinas pagas pela Odebrecht.

Com Estadão Conteúdo

Mais notícias
Dinheiro

Inflação dos alimentos sobe 9,75% e afeta principalmente os mais pobres

Dia a dia

Consultas e cirurgias eletivas acontecem de forma gradual no ES

Dia a dia

Ufes: ponto facultativo do Dia do Servidor é transferido para sexta-feira

Dia a dia

Espírito Santo tem 18 mortes pelo coronavírus em 24 horas