'Custo do voto' para ir ao 2º turno no ES varia de R$ 1,45 a R$ 26,18 - ES360

‘Custo do voto’ para ir ao 2º turno no ES varia de R$ 1,45 a R$ 26,18

O cálculo foi feito com base no total de despesas registradas no site do Tribunal Superior Eleitoral e no número de votos recebido pelos candidatos nas eleições do último domingo

Centrão avança em grandes cidades e aumenta seu cacife. Foto: Antonio Augusto/Ascom/TSE
Eleição ocorreu no domingo. Foto: Antonio Augusto/Ascom/TSE

O custo de cada voto recebido pelos candidatos a prefeito das cidades da Grande Vitória que conseguiram passar para o segundo turno variou entre R$ 1,45 a R$ 26,18. Quem precisou gastar menos para conquistar os votos dos eleitores foi o vereador Arnaldinho Borgo (Pode), que concorre à prefeitura de Vila Velha. Já o custo do voto mais alto, R$ 26,18, foi do ex-prefeito de Vitória João Coser (PT), que concorre novamente ao cargo.   O cálculo foi feito com base no total de despesas registradas no site do Tribunal Superior Eleitoral e no número de votos recebido pelos candidatos nas eleições do último domingo.

A capital do Estado é que teve o gasto mais equilibrado entre os dois candidatos que passaram para o segundo turno. O delegado Lorenzo Pazolini (Republicanos), que teve 36% dos votos, gastou o equivalente a R$ 25,88 a cada tecla “confirma” apertada na urna, uma diferença de R$ 0,30 entre ele e o segundo colocado, Coser.

Já em Vila Velha, a diferença de custo por votos dos candidatos no segundo turno chega a ser quase 10 vezes maior do primeiro para o segundo colocado. Enquanto Arnadinho gastou R$ 1, 45, a campanha do atual prefeito Max Filho (PSDB), que disputa a reeleição, teve custo de R$ 13,11 para cada voto recebido.

Em Cariacica, a candidata do PT, Célia Tavares, que recebeu a segunda maior votação, teve custo por voto que chegou a ser 2,4 vezes maior do que o primeiro lugar no pleito, o deputado Euclério Sampaio (DEM). O custo de cada voto em Célia foi de R$ 13,92, já para Euclério foi de R$ 5,64.

Na Serra, Sérgio Vidigal (PDT) que recebeu 47% dos votos, gastou R$ 8,23 por voto, enquanto o candidato Fabio Duarte (Rede), que ficou em segundo lugar, teve custo de R$ 13,38 por voto.

Confira os números

Vitória
Delegado Pazolini (Republicanos): Registrou R$ 1.372.365,78 em despesas e recebeu 53.014 votos = R$ 25,88 por voto.

João Coser (PT): Teve gasto de R$ 978.633,31 e garantiu 37.373 votos = R$ 26,18 por voto.

Vila Velha
Arnaldinho Borgo (Podemos): Gastou R$ 106.382 e recebeu 73.122 = R$ 1,45 por voto.

Max Filho (PSDB): Teve R$ 610.364 em despesas e 46.523 votos = R$ 13,11 por voto.

Serra
Sérgio Vidigal (PDT): Registrou despesas de R$ 830.205,60 e recebeu 100.837 votos = R$ 8,23 por voto.

Fábio (Rede): Gastou R$ 551.388,99 e teve 41.194 votos = R$ 13,38 ao voto.

Cariacica
Euclério Sampaio (DEM): Registrou despesas de R$ 174,488,54 e recebeu 30.934 votos = R$ 5,64 por voto.

Célia Tavares (PT): Teve R$ 321.439,35 em despesas e recebeu 23.087 votos = R$ 13,92.

Fonte: DivulgaCand e TSE


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Eleições 2020

368 urnas substituídas e mais 500 mil eleitores já justificaram ausência no país

Esportes

Acidente impressionante com Grosjean interrompe GP do Bahrein

Dinheiro

‘Quem falar em Renda Cidadã, cartão vermelho’, diz Bolsonaro

Eleições 2020

Bolsonaro questiona urna eletrônica e ironiza ‘voto por celular’