Cuidado: a felicidade também é contagiosa - ES360

Cuidado: a felicidade também é contagiosa

Tenho boas notícias para você: a felicidade é contagiosa e afeta a felicidade dos outros ao seu redor. Uma pesquisa publicada pela British Medical Journal, realizada com mais de 4 mil pessoas ao longo de 20 anos mostrou que a sua felicidade aumenta a chance de quem convive com você se sentir mais feliz. E vai além, a sua felicidade pode atingir pessoas que você nem conhece.

Um outro estudo muito interessante, da Universidade da Califórnia, mostrou que se as pessoas ao nosso redor ficam mais felizes, isso tem mais impacto na nossa felicidade do que um aumento de 5mil dólares no salário (também fiquei chocada com esse dado).

E isso vale para as redes sociais? Sim, sem dúvidas. A felicidade vai se alastrando pelas redes sociais como um vírus, afetando até pessoas que não se conhecem. Sua felicidade e suas postagens positivas podem influenciar até 3 níveis acima de você. Com uma postagem positiva, você pode alegrar o dia de alguém que nunca conheceu. E o efeito é gigante: postagens positivas de outras pessoas trouxeram um aumento de felicidade em 64% das pessoas expostas às mensagens.

Compartilhar mensagens positivas também tem vantagens diretas para você. A postagem de uma experiência positiva que você teve aumenta o impacto da própria experiência positiva, porque você pode reviver e saborear novamente o que viveu. E isso vale para os casais também: compartilhamento de notícias positivas entre parceiros aumentava a felicidade e a satisfação com a relação.

No momento em que estamos vivendo, essa informação pode ser de vital importância, por dois motivos:

• De acordo com os estudos do psicólogo Edward Diener, pessoas mais felizes são mais saudáveis, possuem 50% mais anticorpos, o que aumenta seu sistema imunológico. Além disso possuem baixo risco de desenvolver doenças pulmonares, hipertensão e resfriados.

• Ao mesmo tempo que é natural e esperado que estejamos todos ansiosos, estressados e tristes, mas quando estamos assim, nosso organismo recebe uma carga de hormônios e neurotransmissores que prejudicam a nossa saúde.

Ou seja, ser feliz, nesse momento, está longe de ser luxo, fútil ou opcional. É uma questão de saúde pública e de sobrevivência.

A partir de hoje, cuide da sua felicidade e da felicidade dos que estão ao seu redor, e se comprometa a compartilhar somente mensagens positivas. Se queremos um mundo melhor e mais feliz, precisamos começar por nós mesmos.

Flávia da Veiga é empresária, publicitária e fundadora da BeHappier

Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do ES360.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais Colunas