Cruzeiro e Botafogo fazem empate sem gols no Mineirão

Resultado deixa a equipe mineira em 16º lugar do Brasileirão a um ponto do rebaixamento. Fluminense, em 17º, joga hoje contra o Ceará

Publicado em · Atualizado há 2 meses

Cruzeiro X Botafogo
Cruzeiro e Botafogo empatam em 0 a 0 pela décima rodada do campeonato Brasileiro 2019, no Mineirão, em Belo Horizonte/MG. Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Se o Cruzeiro sobrou na retomada da Copa do Brasil, o time ainda não conseguiu reagir no Campeonato Brasileiro. Neste domingo, o time mineiro chegou ao sétimo jogo sem vitória no torneio ao empatar sem gols contra o Botafogo, no Mineirão, pela décima rodada.

A última vitória cruzeirense no Brasileirão foi em seu terceiro compromisso – 2 a 1 sobre o Goiás. Desde então, foram quatro derrotas e três empates, deixando o clube ameaçado de rebaixamento, com nove pontos. O Botafogo segue na parte de cima da tabela, na zona de classificação para a Libertadores, com 16 pontos e em sexto lugar.

Ao contrário do que fez na Copa do Brasil no meio de semana, quando venceu o rival Atlético-MG, por 3 a 0, o Cruzeiro teve um desempenho fraco e praticamente não criou. O Botafogo teve atuação sólida no campo de defesa, mas não se preocupou muito em atacar.

Com um time misto e alguns desfalques, como o meia Robinho e o polivalente Romero, o time mineiro entrou em campo ainda nas nuvens pela vitória na Copa do Brasil. Mas longe de apresentar a mesma intensidade, mostrou um futebol preguiçoso e demorou para assumir o controle do jogo no primeiro tempo.

O Botafogo também entrou na morosidade da partida, com a estratégia de se fechar e buscar um contra-ataque para surpreender. Os cariocas, contudo, não conseguiram trocar passes no campo de ataque e praticamente não ameaçaram.

Sem oportunidades de gol, a cena que mais chamou atenção no começo da partida foi protagonizada por Luiz Fernando. O atacante passou mal no meio-campo, vomitou bastante e precisou ser substituído com 22 minutos.

Durante a paralisação para o atendimento do jogador, Mano Menezes aproveitou para pegar a prancheta tática e ajustar a equipe. Os donos da casa trabalharam melhor a bola e criaram a primeira chance aos 27 minutos. David, uma das novidades na escalação, recebeu passe de cavadinha de Thiago Neves, ficou de frente para o gol, mas não acertou a bola na finalização e acabou facilitando para Gatito.

Fred saiu do banco de reservas, entrando na vaga de Ariel Cabral, e o Cruzeiro seguiu em cima no final da primeira etapa. Depois de cruzamento rasteiro de Pedro Rocha, Dedé, na pequena área, se jogou na bola, mas mandou por cima. O zagueiro ficou pedindo pênalti no lance. Depois de consultar o VAR, Leandro Pedro Vuaden mandou o lance seguir. Antes do intervalo, Pedro Rocha tentou em chute cruzado, mas errou o alvo e mandou para fora.

Para tentar mudar o ritmo do segundo tempo, Mano Menezes mandou a campo o jovem Maurício na vaga de Thiago Neves. Assim como o lateral Weverton, escalado entre os titulares, o meia recebeu sua primeira chance entre os profissionais. Apesar do sangue novo, os donos da casa não mudaram o panorama. Seguiram com a bola no campo de ataque, mas sem agressividade e errando muito tecnicamente.

O Botafogo parecia satisfeito com o resultado e seguia marcando firme, em busca de um contra-ataque. A oportunidade apareceu aos 38 minutos. Após arrancada de Alex Santana, a bola ficou com Rodrigo Pimpão pelo lado direito. O atacante invadiu a área, bateu cruzado, mas mandou para fora, perdendo a oportunidade mais clara do time carioca no jogo.

No final, o Cruzeiro tentou pressionar colocando a bola na área adversária, mas foi completamente anulado pela defesa botafoguense. Como consequência pelo pouco futebol, a torcida vaiou o time após o apito final.

No meio de semana, o Cruzeiro faz o jogo de volta contra o Atlético-MG, pelas quartas de final da Copa do Brasil, na quarta, às 19h15, no Independência, em Belo Horizonte. Pelo Brasileirão, o próximo adversário será o Bahia, no sábado, às 17j, na Fonte Nova, em Salvador. Já o Botafogo encara o Santos no próximo domingo, às 11h, no Engenhão, no Rio.

Estadão Conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.