Covid-19: Espírito Santo tem 24 mortes e 1.062 casos em 24 horas - ES360

Covid-19: Espírito Santo tem 24 mortes e 1.062 casos em 24 horas

O Painel Covid-19, da Secretaria de Estado da Saúde, mostra que o estado tem um total de 4.082 vítimas e 175.300 contaminados registrados

Coronavírus. Foto: Pixabay
Coronavírus. Foto: Pixabay

 

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, o Espírito Santo registrou 4.082 mortes e 175.300 casos da doença. O Painel Covid-19, da Secretaria de Estado da Saúde, mostra que, nas últimas 24 horas, foram registrados 1.062 novos casos e 24 óbitos.

A boa notícia é que o número de capixabas curados subiu para 163.100, sendo 1.545 de um dia para o outro. A taxa de letalidade da covid-19 continua em 2,3%, e mais de 587.336 testes já foram realizados no estado.

Vila Velha segue na ponta do ranking dos municípios com maior incidência da doença, com 25.839 casos e 570 mortes. Vitória soma 23.006 notificações e 492 óbitos. A Serra está em terceiro, com 22.364 casos e 573 vítimas. Na sequência está Cariacica, com 15.979 testes positivos e 511 mortos.

No interior do Espírito Santo, Linhares encabeça o ranking de casos confirmados (8.216) e soma 142 mortes. Cachoeiro de Itapemirim registra 7.909 infectados e 197 óbitos. Colatina segue com 7.888 casos e 143 vítimas da covid-19.

Jardim Camburi, em Vitória, continua sendo o bairro com maior número de infecções, com 2.941 notificações. Jardim da Penha subiu para a segunda posição com 1.955 casos, seguida da Praia de Itaparica com 1.630. A Praia do Canto, também em Vitória, segue com 1.605 contaminados e na quinta posição está Itapuã com 1.377 infectados.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Mês de homenagens marca festividades de aniversário da Maranata

Dia a dia

Casagrande recebe vice-presidente Mourão no Palácio Anchieta

País

Anvisa deve autorizar uso emergencial de vacinas contra a covid-19

Dia a dia

Vídeo: Bolsonaro recebe Meneghelli e ‘veste a camisa’ de Colatina