Covid-19: enfermaria volta a ter ocupação maior que 70% - ES360

Covid-19: enfermaria volta a ter ocupação maior que 70%

Desde o dia 15 de julho o estado não registrava uma ocupação superior a 70% da capacidade total, o que aponta um possível aumento no número de infectados

Com a pandemia, leitos de UTI aumentam 45% no País. Foto: Divulgação/Sesa
Leitos de enfermaria. Foto: Divulgação/Sesa

 

A ocupação das enfermarias exclusivas para pacientes diagnosticados com o novo coronavírus teve um aumento e atingiu 73,5% no Espírito Santo. Desde o dia 15 de julho o Estado não registrava uma ocupação superior a 70% da capacidade total, o que aponta um possível aumento no número de infectados. As informações são do Painel Covid-19 da Secretaria de Estado da Saúde.

A Secretaria da Saúde tem feito desde agosto a reversão do perfil de alguns leitos hospitalares disponibilizados para paciente com a covid-19 para atender outras especialidades médicas. No auge da pandemia os leitos de enfermarias exclusivos para o tratamento do coronavírus era de 817. Atualmente são 351 enfermarias para covid-19, desses 258 estão em uso. No entanto, se ainda contasse com a ampliação, a ocupação seria de apenas 31,58%.

Nas últimas semanas, o estado voltou a apresentar uma crescente no número de contaminados pelo novo coronavírus e na busca por atendimento médicos. Com isso, a demanda nos hospitais aumenta. As UTIs do Estado já registram uma ocupação de 71,32%. Dos 387 leitos disponíveis, 276 estão em uso. No auge da pandemia, no dia 5 de julho, a ocupação chegou a atingir 86,58%, quando estavam em uso 600 UTIs das 693 disponibilizadas.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dinheiro

PIB tem crescimento recorde de 7,7% no 3º trimestre, mas não recupera perdas da pandemia

Dia a dia

“Não teremos cidades com risco alto na próxima semana”, diz subsecretário da Sesa

Dinheiro

Governo apresentará nova meta fiscal para 2021 como quer o TCU, diz Guedes

Dinheiro

Guedes admite PIB um pouco abaixo do esperado, mas vê economia voltando