Coronavírus tem potencial para se tornar pandemia, avalia OMS - ES360

Coronavírus tem potencial para se tornar pandemia, avalia OMS

"Estamos em um ponto decisivo", definiu durante entrevista coletiva em Genebra, na Suíça

MP libera R$ 11,2 mi para Defesa no combate ao coronavírus. Foto: Tyrone Siu
Coronavírus. Foto: Tyrone Siu

 

O diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou para a possibilidade de o avanço do coronavírus se tornar uma pandemia, mas ponderou que o surto ainda pode ser contido. “Estamos em um ponto decisivo”, definiu durante entrevista coletiva em Genebra, na Suíça.

> Novo caso de coronavírus no Espírito Santo é investigado

Segundo dados mais recentes da entidade, 78.630 casos da doença foram registrados na China, com 2.747 mortes. Mas, de acordo com Tedros, o principal foco de preocupação se deslocou para fora do país asiático. “Nos últimos dois dias, o número de novos casos de coronavírus no resto do mundo superou o número de novos casos na China”, destacou.

Ainda de acordo com a OMS, além do gigante asiático, 44 países relataram 3.474 diagnósticos do vírus, com 54 mortes. “Minha mensagem para cada um desses países é a seguinte: esta é sua janela de oportunidade. Se agirem agressivamente agora, podem conter o coronavírus e salvar vidas”, disse Tedros.

> Com 11 casos, SP lidera registro de suspeitos de coronavírus no país

A organização explicou que a maior parte dos países que já registraram a doença está em fase de importação do vírus, mas que há casos de redes de transmissões próprias. “As epidemias no Irã, na Itália e na Coreia do Sul demonstram o que o coronavírus é capaz”, lembrou o diretor-geral.

O médico etíope citou a África como região que requer maior atenção, por ter sistemas de saúde mais frágeis, mas disse que todos os países do mundo têm comunidades vulneráveis. Para ele, o surto está em uma fase “delicada” e pode ir para qualquer lugar.

Olimpíada

A OMS está trabalhando com autoridades japonesas para avaliar a viabilidade dos Jogos Olímpicos de Tóquio, marcados para julho. “Não teremos uma decisão sobre as Olimpíadas em breve”, explicou o diretor-executivo da entidade, Michael Ryan, em entrevista coletiva.

> Veja as dicas da OMS para se proteger do novo coronavírus

Ryan lembrou que outros grandes eventos aconteceram durante epidemias anteriores, como a do zika, em 2016, quando foram realizados os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Estadão Conteúdo


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Teste

Teste do campo de Autoria

Bem-estar

"O ES pode colapsar junto", afirma secretário de Saúde

Dia a dia

Saiba como agendar a vacina contra covid no Espírito Santo

Esportes

Olimpíada deve receber número limitado de torcedores