Coronavírus pode causar danos neurológicos a médio prazo, diz estudo - ES360

Coronavírus pode causar danos neurológicos a médio prazo, diz estudo

Artigo publicado nesta terça-feira (21) na revista Trends in Neuroscience aponta que covid-19 pode causar doenças como Alzheimer

Pesquisa da Fiocruz. Foto: Divulgação/Fiocruz
Pesquisadores conseguem combater sintomas do Alzheimer com canabinoide. Foto: Divulgação/Fiocruz

 

Responsável pela pandemia da covid-19, o novo coronavírus pode atacar também o sistema nervoso central causando problemas neurológicos graves a médio e longo prazo, como Alzheimer. O alerta foi feito em um artigo publicado nesta terça-feira (21) na revista Trends in Neuroscience (do grupo Cell), e assinado por cientistas brasileiros.

Como a síndrome respiratória aguda é a principal característica das manifestações graves de covid-19, a grande maioria dos estudos iniciais sobre a doença teve como foco o seu impacto no sistema respiratório. No entanto, aponta o trabalho, já existem evidências importantes sugerindo que o Sars-CoV-2 também infecta outros órgãos e pode afetar diferentes sistemas, dentre eles o nervoso.

> Crise do novo coronavírus pode causar ‘fome de proporções bíblicas’, alerta diretor da ONU

“As descobertas emergentes indicam que, além do sistema respiratório, outros sistemas, incluindo o sistema nervoso central, podem ser afetados em pacientes com covid-19”, afirmou Jorge Moll, da UFRJ e presidente do conselho do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (Idor), um dos autores do artigo.

Em um levantamento feito a partir de diversos estudos, os cientistas mostram que as doenças cerebrovasculares estão entre as comorbidades de pacientes que testaram positivo para a covid-19 e desenvolveram complicações respiratórias graves. Um dos estudos, cita o artigo, relata casos de isquemia em 20% de 113 pacientes mortos por covid-19. Outro estudo avaliou 214 pacientes na China e concluiu que 36% deles tiveram alguma manifestação neurológica.

“Alterações neurológicas e da imagem cerebral, incluindo encefalite, foram descritas em pacientes com covid-19”, confirma a diretora-presidente do Idor, Fernanda Tovar-Moll, que também assina o artigo.

> Coronavírus: infectados globalmente são 2,59 milhões

O artigo lembra ainda que a conexão entre infecções virais e patologias do sistema nervoso central não é exatamente uma novidade e que as observações feitas dos casos de covid-19 são semelhantes às notadas em casos de infecção por outros coronavírus, como Sars e Mers. Os autores notam, no entanto, que novos estudos ainda são necessários no caso específico da covid-19.

“Os estudos sobre a invasão do sistema nervoso central por outros vírus, incluindo o vírus do Nilo Ocidental, zika e da herpes podem fornecer orientações sobre as principais áreas de investigação com o objetivo de estabelecer se e como a Sars-CoV-2 afeta o sistema nervoso central”, disse o professor do Instituto de Biofísica Carlos Chagas, da UFRJ, Sérgio Ferreira, um dos autores do artigo.

Pesquisador da Queens University, no Canadá, o brasileiro Douglas Munoz, também assina o artigo. Ele lembra que, dada a dimensão global da pandemia atual, é necessário considerar desde já os possíveis impactos a longo prazo da covid-19 no cérebro.

“Ressaltamos a importância de acompanhar os pacientes com covid-19 nos próximos anos, pois a infecção por Sars-CoV-2 pode favorecer ou aumentar a suscetibilidade ao desenvolvimento de doenças como Alzheimer e outros distúrbios neurodegenerativos ou neurológicos”, concluiu Fernanda de Felice, do Instituto de Bioquímica Médica da UFRJ, que também assina o artigo.

Estadão Conteúdo


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
País

Doria vai à Justiça contra Sara Winter e menciona nazismo

Política

Procuradoria dará mais um mês para inquérito sobre Bolsonaro

País

Bolsonaro diz a apoiadores para evitarem atos contra governo

Dia a dia

Mais de 206 mil pessoas foram infectadas pela covid-19 no ES