Condições das estradas do Espírito Santo pioram - ES360

Condições das estradas do Espírito Santo pioram

No Espírito Santo, foram analisados 1.400 quilômetros de rodovias federais, estaduais e sob concessão

Movimento de carros na Rodovia BR-101 Sul, Viana. Foto: Chico Guedes
Movimento de carros na Rodovia BR-101 Sul, Viana. Foto: Chico Guedes

As estradas do Espírito Santo estão piores em relação à pesquisa realizada no ano passado pela CNT (Confederação Nacional dos Transportes). O levantamento de 2019, divulgado nesta terça-feira (22), apontou que 52,9% das rodovias federais e estaduais que cortam o estado apresentam problemas, sendo consideradas regular, ruim ou péssima. Em 2018, essa classificação era de 45,9%. No país, 59% da malha rodoviária pavimentada apresenta algum tipo de problema, sendo considerada regular, ruim ou péssima. Os demais 41% dos trechos estão em ótimo ou bom estados.

No Espírito Santo, foram analisados 1.400 quilômetros de rodovias federais, estaduais e sob concessão. A pesquisa leva em consideração a qualidade da pavimentação, sinalização, geometria das vias, pontos críticos, custo operacional e de acidentes, investimentos e meio ambiente.

Das estradas analisadas, 2,2% das vias foram consideradas péssimas; 7,8% ruins; 42,9% regulares; 35,4% boas e 11,7% ótimas.

Condições

 
Em todo o trecho avaliado no estado, 52,6% da pavimentação e 77,9% da sinalização foram consideradas boas ou ótimas. Já no quesito geometria da via, 74,5% da malha foi classificada como deficitária e 25,5%, ótima ou boa. As pistas simples predominam em 90,1%. Falta acostamento em 47,4% dos trechos avaliados. Nos locais com curvas perigosas, em 41,8% não há acostamento.

Para realizar ações emergenciais para recuperar as vias que cortam o Espírito Santo, é necessário um investimento de R$ 493,08 milhões.

Avaliações dos órgãos

 
Sobre a queda na avaliação, o diretor-geral do Iopes (Instituto de Obras Públicas do Espírito Santo), Luiz Cesar Maretto Coura, explica que o governo tem investido em pavimentação e sinalização desde janeiro. “Nossas rodovias são antigas, têm uma geometria ruim. Mas para o próximo ano, vamos recuperar cerca de 800 quilômetros de rodovias estaduais e construir novas estradas. O valor de investimento é de R$ 1,2 bilhão”, garante Maretto.

Responsável pela obras de duplicação da BR-101, a Eco101 diz que iniciará neste ano obras em 22 quilômetros da via, entre Guarapari e Anchieta (km 335 ao 357), onde serão investidos R$ 89 milhões. Outros R$ 230 milhões estão previstos para recuperação da malha viária até maio de 2021, representando a restauração de 100% do pavimento da BR-101.

O Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte) informa que nos anos anteriores não foi possível destinar os recursos mínimos para manutenção. As rodovias federais têm sido atendidas em 50% do orçamento necessário para a demanda.

CONFIRA O “ESTADO GERAL” DAS RODOVIAS QUE CORTAM O ES:

 

Ótimo

 
ES-164

ES-164/BR-482

Bom

 
BR-101

BR-262

BR-484

ES-060

ES-080

ES-490

Regular

 
BR-259

BR-381

BR-393

BR-482

ES-010

ES-137

ES-137/BR-381

ES-264

ES-297

ES-446

EST-482/BR-482

EST-484/BR-484

EST-488/BR-482

Ruim e Péssimo

 
BR-342

ES-164

ES-261

ES-393/BR-393

EST-381/BR-381

FONTE: Pesquisa da CNT (Confederação Nacional do Transporte)

Mais notícias
Dia a dia

Síndrome respiratória grave tende a aumentar no ES

Dia a dia

Instituto emite alerta de chuva forte no Espírito Santo

Dia a dia

Mãe do governador do ES é vacinada contra a covid

Dia a dia

Com ações inclusivas, Maranata leva ensinamentos a pessoas com deficiência