Começam estudos para privatizar a Codesa

As alternativas de privatização ou de concessão da Codesa devem ser apresentadas em 2020

Publicado em · Atualizado há 1 semana

Porto de Vitória
Codesa está na lista das privatizações de Paulo Guedes. Foto: Reprodução

A privatização da Codesa (Companhia Docas do Estado do Espírito Santo) deu mais um passo. O Ministério da Infraestrutura apresentou um cronograma dos estudos e iniciou os encontros para definir as possibilidades de modelos a serem adotados.

As alternativas de privatização ou de concessão da Codesa devem ser apresentadas em 2020. A expectativa é que o leilão que vai passar a companhia para a administração da iniciativa privada aconteça em 2021.

O presidente da Codesa, Julio Castiglioni, destacou que nos últimos meses a empresa levantou diversos documentos e informações que, a partir de agora, serão examinados. “Foram fornecidos mais de dez mil documentos que ajudam a esclarecer a situação econômica e jurídica da Codesa. Mas o trabalho ainda é incipiente, porque há muito debate a ser feito com a comunidade portuária.”

Segundo o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, o Governo Federal está se dedicando de forma integral ao cronograma desse projeto. Já o secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni, afirmou que a Codesa será um modelo para a privatização de outras entidades portuárias no país.

A primeira reunião do projeto de desestatização da Codesa foi realizada nesta segunda-feira, com a participação do ministro, além de representantes do Ministério da Economia, do Programa de Parcerias de Investimentos, da Agência Nacional de Transportes Aquaviários, e consultores do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).