Com aumento em óbitos e casos por covid-19, SP aumenta medidas de restrição - ES360

Com aumento em óbitos e casos por covid-19, SP aumenta medidas de restrição

A reclassificação de fases colocou quatro regiões na fase laranja, enquanto o restante, o que inclui toda a Grande São Paulo, segue na fase amarela

O Estado de São Paulo teve um aumento de 34% nos óbitos e de 30% nos casos confirmados do novo coronavírus na atual semana epidemiológica, de acordo com dados divulgados no início da tarde desta sexta-feira, 8, pelo governo João Doria (PSDB).

Com o aumento das taxas da covid-19 no Estado, o que inclui também um aumento de 8,2% em internações, decidiu-se por mudanças nos regramentos do Plano São Paulo, de reabertura econômica e flexibilização da quarentena. Além disso, a reclassificação de fases colocou quatro regiões na fase laranja, enquanto o restante, o que inclui toda a Grande São Paulo, segue na fase amarela.

“A pandemia infelizmente recrudesceu, por culpa de poucos, que não respeitaram normas sanitárias e orientações da saúde. pessoas que infelizmente se aglomeraram, não usaram máscara, festejaram de uma forma irresponsável e colocaram tanto seus familiares quanto amigos em risco”, lamentou Jean Gorinchteyn, secretário estadual da Saúde. “Só as vacinas poderão mudar a história da pandemia no mundo, mas, principalmente, no nosso País, preservando vidas”, destacou. O governador João Doria não está presente na coletiva de imprensa.

A região de Presidente Prudente passou da fase vermelha para a laranja, enquanto Marília, Sorocaba e Registro regrediram da fase amarela para a laranja. De acordo com o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, a ocupação de UTIs foi o principal fator para a piora nos índices das três regiões. O restante do Estado segue na fase amarela, o que representa 90% da população paulista.

O número de casos aumentou nas últimas três semanas: foi de 5 606 na penúltima semana de dezembro, seguiu para 6.373 na seguinte e, agora em 2021, chegou a 9.441. A atual semana epidemiológica ainda tem dados parciais, pois se estende até sábado, dia 9.

A reclassificação estava prevista para ocorrer na quinta-feira, 7, mas o governo paulista decidiu adiar em um dia, em parte por causa da divulgação de resultados dos testes brasileiros da vacina Coronavac, realizada na data.

A última atualização das fases do Plano São Paulo ocorreu em 22 de dezembro. Na ocasião, o governo também anunciou um recuo para a fase vermelha em todo o Estado entre 25 e 27 de dezembro e 1º e 3 de janeiro.

Até as 18h de quinta-feira, o Estado de São Paulo registrou 47 768 óbitos e 1.515.158 casos confirmados do novo coronavírus. Segundo o balanço mais recente da Secretaria Estadual da Saúde, a taxa de ocupação de UTIs é de 62,8%, média que chega a 65,3% na Grande São Paulo. Ao todo, 12.213 pacientes estão internados, dos quais 6.819 em enfermaria e 5.102 em leitos de UTI.

O aumento nas taxas da doença tem preocupado o governo paulista, especialmente após os registros de aglomerações e o desrespeito de ao menos 19 municípios às restrições determinadas em âmbito estadual para o período das festas de fim de ano.

Segundo a Secretaria da Saúde, o Estado tem um aumento de 68% em casos e de 57% em mortes pela covid-19 na comparação entre os 30 primeiros dias de dezembro e o mesmo período do mês anterior. Em reunião com prefeitos na quarta-feira, 6, Doria afirmou que São Paulo vive uma segunda onda da doença.

A situação se repete pelo País, que ultrapassou a marca de 200 mil mortes por covid-19 na quinta-feira. Pelo aumento nas taxas da doença, Belo Horizonte anunciou o fechamento do comércio considerado não essencial a partir da próxima segunda-feira, 11. Medida semelhante foi determinada no Amazonas, por meio de ordem judicial.

Estadão Conteúdo


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Pazuello: Brasil será o 2º país com mais vacinados no Ocidente

Dia a dia

Planalto faz investida contra pressão por impeachment

Mundo

China começa a testar 2 milhões em Pequim

Dia a dia

Vitória entra em risco baixo para a transmissão da covid-19