Cinco perguntas para Fernanda Meybom: uso de cerveja em receitas - ES360

Cinco perguntas para Fernanda Meybom: uso de cerveja em receitas

Bolo Stout. Foto: Reprodução
Bolo Stout. Foto: Reprodução

Há quem dispense um docinho quando está tomando cerveja, mas saiba que a escolha de certos estilos pode combinar muito bem com a bebida. Uma das combinações mais certeiras para quem está começando são as cervejas escuras stouts, ou RIS (Russian Imperial Stout) com algum chocolate ou até um brigadeiro.

engenheira química e sommelier em cervejas Fernanda Meybom. Foto: Reprodução
engenheira química e sommelier em cervejas Fernanda Meybom. Foto: Reprodução

Mas sabia que a cerveja pode ser uma aliada levando sabor ao doce como ingrediente? Como essa é uma das especialidades da engenheira química e sommelier em cervejas Fernanda Meybom, fizemos cinco perguntas sobre sua história no mundo cervejeiros, sua experiência como jurada de importantes concursos cervejeiros e ainda sobre como surgiu a paixão de elaborar receitas com cervejas, principalmente na confeitaria. Confira a entrevista completa e, quem sabe, arrisque a receita sugerida por ela no final!

1- Como foi seu primeiro contato com a cerveja artesanal? Teve alguma que te marcou?

Eu tomei alguma cerveja de trigo, naquele copo lindo e depois as cervejas da Eisenbahn. A que mais me marcou foi a Guinness, porque eu fiz uma receita de bolo com a cerveja e assim passei a me interessar mais pelo assunto. E a fazer mais bolos de cerveja, claro!

2 – Quais são seus três estilos favoritos?

Adoro sours, especialmente Flanders, Lambics e Catharina Sours.

3 – Quais são os lúpulos que mais gosta?

Difícil essa, haha. Não sou uma “hophead” e raramente escolho uma cerveja pelo lúpulo. Acho que uma das vezes que isso aconteceu foi quando provei a Duvel Cashmere. Mas gosto muito de florais e frutados.

4 – Você é jurada de vários concursos importantes. Conte um pouco sobre essa trajetória. O que considera indispensável para quem quer seguir o caminho de avaliar cervejas?

Estudar muito! Acredito que o melhor é conhecer o programa de estudos do BJCP (Beer Judge Certification Program – ou programa de certificação de juiz de cerveja, em tradução livre). Participar de concursos de cerveja caseira, no início como voluntário e depois avaliando com pessoas mais experientes as cervejas. E estudar mais! Meus primeiros concursos foram de cerveja caseira.

5 – Como foi o processo de fazer doces com cerveja? Qual a sua receita favorita e qual indica para quem nunca fez?

Eu sempre gostei de fazer bolos. Faço desde criança. Quando me deparei com a receita do Guinness Cake numa revista eu não tive dúvidas, fiz o bolo no mesmo dia. Depois do bolo a segunda receita foi sorvete, depois cookies. Hoje coloco cerveja quase em tudo! Indico a de chocolate stout, é fácil e é umas das minhas primeiras receitas.

Vamos brindar?

Nova loja de cerveja artesanal em Vitória

Loja em Jardim da Penha terá seis torneiras de chope Foto: Divulgação/Mestre Cervejeiro
Loja em Jardim da Penha terá seis torneiras de chope Foto: Divulgação/Mestre Cervejeiro

Vitória ganha nesta quinta-feira (09) mais uma loja voltada para cervejas artesanais e importadas, com a inauguração da nova loja Mestre Cervejeiro em Vitória. Agora, a unidade da rede de franquias fica em Jardim da Penha e oferece mais de 100 rótulos de cervejas artesanais nacionais, importadas e rótulos próprios, além de seis torneiras de chope artesanal. A unidade Mestre Cervejeiro na capital fica na Avenida Francisco Generoso da Fonseca, 355 – loja 06, no bairro Jardim da Penha, e vai funcionar inicialmente de segunda a sexta-feira, das 12h às 16h (seguindo o decreto do governo).

Campanha para ajudar catadores

As cervejarias capixabas associadas à Abracerva se uniram para captar recursos para ajudar na aquisição de máscaras de tecido para catadores de Vitória. Os próximos prêmios, de sorteio a ser realizado no dia 13 de julho, serão cervejas da Casa 107. Para ajudar e concorrer é só doar R$ 10 pelo PicPay @farramovel. Cada doação de R$ 10 é convertida em quatro máscaras para atender 100 catadores de cooperativas da Grande Vitória.

Leticia Orlandi é jornalista e entusiasta de cervejas artesanais. Escreve sobre histórias e sabores por trás de cada copo.

Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do ES360.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais Colunas