Carnaval de Vitória deve ser adiado, admite presidente da Liesge - ES360

Carnaval de Vitória deve ser adiado, admite presidente da Liesge

A decisão final será divulgada no dia 15 de outubro, quando haverá uma reunião entre os presidentes das escolas de samba e o poder público

Ensaio Técnico da Escola de Samba MUG (Mocidade Unida da Glória), no Sambão do Povo, em Vitória. Foto: Divulgação/PMV

Colocar uma fantasia, passar glitter e cair no samba virou um dos maiores objetos de desejo dos capixabas no pós-pandemia. Parece um cenário tentador com a retomada das atividades no Espírito Santo, mas, segundo dirigentes e representantes das escolas de samba, o Carnaval de Vitória de 2021 não deve acontecer até a disponibilização de uma vacina contra a covid-19 – ou seja, a folia precisaria ser adiada, sem previsão de quando poderá entrar na avenida de novo.

Quem afirma isso é o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba do Grupo Especial (Liesge), Edvaldo Teixeira, que diz estar dialogando semanalmente com os presidentes das escolas de samba da capital. “Haverá a festa, sim, mas não acreditamos que seja em fevereiro, quando normalmente é feita. Não dá para fazer o Carnaval sem a vacina. Precisamos aguardar para saber como vai acontecer”, afirma.

Segundo Teixeira, a liga tem conversado sobre a possibilidade de ter um carnaval reduzido. A ideia é ter alas com um número menor de componentes. Arquibancadas e camarotes teriam que ter limite de vendas para que pudessem proporcionar uma distância segura.

Além disso, os ensaios também podem não contar com público. A proposta seria ensaios da bateria na quadra, onde os componentes ficariam distantes uns dos outros, com a possibilidade de uma transmissão ao vivo.

A decisão final, no entanto, só será divulgada no dia 15 de outubro, quando haverá uma reunião entre os presidentes do grupo especial e o poder público. Para o encontro, segundo Edvaldo, é esperada a presença do Ministério Público do Espírito Santo (MPES), do Governo do Estado e da prefeitura de Vitória.

“Estamos trabalhando para ter o carnaval capixaba. Acreditamos que, no estado, a pandemia já estabilizou, e na Grande Vitória os casos já estão reduzindo. Vemos que, atualmente, o aumento dos infectados está mais no interior. Provavelmente terá mudanças, mas vamos realizar a festa”, contou o presidente.

“Vamos continuar dialogando com o poder público para decidir como será feito, sobretudo quanto à data. Como o Sambão do Povo (onde acontecem os desfiles) é da prefeitura, por exemplo, dependemos deles”, pontua Edvaldo.

O Sambão do Povo, que fica no bairro Mario Cypreste, atualmente está abrigando pessoas em situação de vulnerabilidade que foram diagnosticados com coronavírus e não conseguem fazer o isolamento social. Na inauguração do projeto, o coordenador Bruno Toledo previu que o centro deve continuar funcionando até o mês de dezembro.

Resposta

Procurada pela reportagem sobre a possibilidade do adiamento, a prefeitura de Vitória respondeu por nota que “no momento está focada no desenvolvimento de ações de combate à disseminação do novo coronavírus”. Informou, ainda, que “já está dialogando com as Ligas das Escolas de Samba e o Ministério Público Estadual (MPES) e que todos irão se reunir em outubro para decidir sobre o Carnaval 2021”.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Mundo

Ataque a faca deixa ao menos dois mortos na França; suspeito foi preso

Dia a dia

Veja como está o funcionamento das consultas eletivas em Vitória

País

PF mira propinas para servidores de estatal de tecnologia e desvios em banco

Dinheiro

Receita começa a enviar cartas a contribuintes na malha fina