Capes corta mais de 5,6 mil bolsas de pós-graduação - ES360

Capes corta mais de 5,6 mil bolsas de pós-graduação

Congelamento passa a vigorar a partir deste mês em todo o país. No primeiro semestre deste ano, órgão fechou 6.198 vagas

Ufes suspendeu todas as 225 bolsas de Iniciação Científica que ofertaria com recursos próprios. Foto: Chico Guedes

A Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), órgão ligado ao Ministério da Educação, anunciou o corte de mais 5.613 bolsas de pós-graduação que seriam ofertadas deste mês até dezembro em todo o país. O congelamento, que passa a vigorar a partir deste mês, soma-se a outras 6.198 bolsas que foram bloqueadas no primeiro semestre deste ano.

Ao todo, isso corresponde a 5,57% do total de vagas ofertadas pelo sistema neste ano. O bloqueio foi anunciado nesta segunda-feira (2) pelo presidente da instituição, Anderson Ribeiro Correa, e é reflexo da redução do orçamento da Capes. Foram reservados para este ano R$ 4,250 bilhões, dos quais R$ 819 milhões foram bloqueados.

Atualmente, há 211.784 bolsas da Capes ativas em todos os níveis (educação básica e pós-graduação), sendo 92.680 na pós-graduação. Não haverá interrupção de pagamento a bolsistas com pesquisas em andamento. O corte afeta bolsas ainda não utilizadas, ou seja, que seriam incorporadas a partir de setembro.

Ao anunciar os números, Correa afirmou que o novo bloqueio representa R$ 544 milhões que deixam de ser investidos nas bolsas em quatro anos. O cálculo foi feito a partir do montante que seria investido no período. Não há informações se as bolsas atingidas agora serão retomadas futuramente.

Para 2019, a medida representa R$ 37,8 milhões a menos de investimento em pesquisas de mestrado, doutorado e pós-doutorado. A Capes financia também bolsas para professores de educação básica. A área, contudo, ainda não foi atingida pelos cortes.

Metade do orçamento previsto para este ano

A expectativa para o financiamento da Capes é pouco animadora. A previsão para 2020 é de que o orçamento da coordenação caia para R$ 2,2 bilhões, o equivalente a 51% do orçamento previsto para este ano.

O secretário executivo do Ministério da Educação, Antonio Vogel, afirmou que a equipe está buscando alternativas para que não haja prejuízo na pesquisa do país. Ele, no entanto, não afirmou quais estratégias estão em análise. “Estamos vendo várias alternativas. Todas estão na mesa”, disse. Mais tarde, ele completou: “Estamos preocupados, conversando com o governo federal, em busca de soluções para isso.”

O presidente da Capes afirmou que o corte anunciado nesta segunda-feira (2) foi realizado para garantir o pagamento das bolsas que estão em vigor.

“Não sabemos se até o final do ano teremos como pagar (bolsas)”, diz Ifes

No estado, o corte anunciado pela Capes deve afetar a oferta de oito bolsas no Ifes (Instituto Federal do Espírito Santo), além de bolsas também na Ufes (Universidade Federal do Espírito Santo). A universidade, porém, não soube informar quantas bolsas devem ser suspensas após a medida, porque o dado depende de acesso ao sistema, que ainda não havia sido liberado, segundo a instituição.

A Ufes suspendeu todas as 225 bolsas de Iniciação Científica que ofertaria com recursos próprios para o período 2019-2020, devido aos cortes orçamentários do governo federal. Os 108 estudantes bem colocados no último edital vão receber bolsas com recursos da Fapes (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do estado).

No Ifes, o pró-reitor reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, André Romero, explica que também estão em risco 97 bolsas mantidas pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e 197 custeadas pela própria instituição. Ambas são destinadas à Iniciação Científica nos cursos de graduação e ensino técnico.

“O CNPq não garantiu o pagamento após agosto. E nós dependemos da verba do governo para fazer os pagamentos. Não sabemos se até o final do ano teremos como pagar. Estão tirando a oportunidade de cidadãos se envolverem com a pesquisa e mudarem o cenário de suas comunidades e famílias”, afirmou. Para o 2019-2020, o Ifes previa R$ 730 mil para o pagamento das 197 bolsas.

Mais notícias
Dia a dia

Começa vacinação de idosos acima de 80 anos. Veja datas

Dinheiro

Espírito Santo terá loteria estadual até julho

Dia a dia

Mais de 117 mil pessoas receberam 1ª dose da vacina no ES

Dia a dia

Saiba como funciona bafômetro que identifica álcool no ar