Brasil aumenta no sábado sua contagem de títulos na Libertadores da América - ES360

Brasil aumenta no sábado sua contagem de títulos na Libertadores da América

País vai parar para acompanhar a final da edição 2020 entre Palmeiras e Santos

Por dois anos seguidos, a Libertadores é do Brasil. Em 2019, o Flamengo se sagrou campeão, impedindo o bi do River Plate. Na edição aberta, Palmeiras e Santos farão a final em jogo único no sábado, dia 30, no Maracanã. Ganhar a competição sul-americana é o estágio mais alto que um clube brasileiro pode alcançar. Há ainda o Mundial da Fifa, mas ele é consequência da Libertadores. Tanto os clubes quantos os torcedores se dobram pelo torneio da América.

Na última década, de 2011 até 2020, o futebol brasileiro festejou cinco conquistas. Santos ou Palmeiras terá a chance de se juntar a esse seleto grupo, elevando o número de vitórias para seis em dez temporadas. Os campeões brasileiros no período foram Santos (2011), Corinthians (2012), Atlético-MG (2013), Grêmio (2017) e Flamengo (2019). De todos eles, apenas o Corinthians ganhou também o Mundial da Fifa, batendo o inglês Chelsea. E só o time mineiro não caiu diante de um rival europeu.

Dez clubes brasileiros já venceram a Libertadores desde sua criação em 1960. São 19 troféus, contra 25 dos argentinos. São Paulo, Santos e Grêmio são os maiores campeões, com três conquistas cada. O Santos, que está na final, pode passar à frente nessa contagem. O time da Vila comemorou duas conquistas (1962 e 63) sob o comando de Pelé. A outra ocorreu em 2011, quando o time era regido por Neymar, um dos melhores do mundo ao lado de Lionel Messi, CR7 e Robert Lewandowski.

Quem fez história na Libertadores antes de ‘sumir’ da competição foi o São Paulo. Na década de 90, mais precisamente nos anos de 1992 e 93, o time do Morumbi festejou o bi do torneio, tornando-se referência para todos os clubes do País. O São Paulo era um clube organizado, trabalhava com excelência em todos os seus departamentos. A outra conquista ocorreu em 2005. Poderia ainda ter vencido em 2006, mas nesta edição perdeu para o Inter. Ou em 1994, quando caiu diante do Vélez Sarsfield. E em 1974, ao fracassar na final contra o Independiente.

Cruzeiro, Inter e Flamengo têm, cada um, duas taças da Libertadores. Hoje, o time de Minas Gerais disputa a Segundona do Brasileiro, não vai subir na temporada e ainda tem uma série de problemas financeiros para resolver. Desceu ao fundo do poço depois de viver ciclos importantes e de vitórias.

No caso do Flamengo, a segunda taça é fresquinha, erguida em 2019, quando sua diretoria formou equipe competitiva e acertou na escolha de um treinador português, Jorge Jesus. A outra é histórica, ocorrida em 1981, sob o comando de Zico. O time superou o Cobreloa na decisão. Depois disso, o Galinho ainda ergueria o troféu da Copa Intercontinental batendo o Liverpool por 3 a 0 em Tóquio, no Japão. A Fifa reconheceria mais adiante esse torneio como seu Mundial de Clubes.

No sábado, Palmeiras e Santos terão a chance de fazer história novamente. O Palmeiras tem apenas uma conquista, em 1999, quando Felipão era seu treinador e o elenco tinha jogadores como Zinho, Paulo Nunes e Alex. Outros três clubes brasileiros ganharam a Libertadores apenas uma vez: Atlético-MG, Vasco e Corinthians. O Palmeiras persegue esse título há muito tempo. Com toda a sua estrutura, que não é de hoje, poderia ter outras taças da América. Em 2000, foi vice, perdendo para o Boca Juniors. Situação semelhante às edições de 1961 (contra o Peñarol) e 1968 (diante do Estudiantes). Na disputa deste ano, coloca-se em ligeira vantagem sobre o Santos no quesito organização, elenco e condição financeira. Em campo, porém, as qualidades se equivalem. Portanto, não há favoritos nos 90 minutos.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Esportes

Para Colômbia, é ‘improvável’ receber voo da Seleção Brasileira

Política

Cartório 'censura' escritura da mansão de Flávio Bolsonaro

Dia a dia

Governo do ES abre mais de 10 leitos de UTI em Vitória

País

Maioria dos bares respeita restrição no Rio