Bolsonaro diz ter acordo para excludente de ilicitude e fala em novos decretos de armas - ES360

Bolsonaro diz ter acordo para excludente de ilicitude e fala em novos decretos de armas

Presidente anunciou que deve assinar novos decretos sobre armas e regras para colecionadores, atiradores esportivos e caçadores

'Vamos participar e influir na presidência da Câmara', diz Bolsonaro. Foto: Marcos Correa/PR
Jair Bolsonaro. Foto: Marcos Correa/PR

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira (4), que pretende resgatar, em acordo com os presidentes da Câmara e Senado, a votação do excludente de ilicitude para forças policiais. Ele também anunciou que na próxima semana o governo federal irá “baixar mais três decretos sobre armas e CACs”, sigla dada aos colecionadores, atiradores e caçadores no País.

Segundo Bolsonaro, sobre o excludente de ilicitude, “se ele (o policial) está armado na rua é porque nós colocamos as armas nas mãos deles”. “Quem manda no meio da rua na GLO (Operação para Garantia da Lei e da Ordem) sou eu, quem bota na rua a polícia militar é o governador[(do Paraná) Ratinho Jr. Nós temos que ter responsabilidade”, declarou o presidente. Bolsonaro participou nesta quinta-feira, 4, da inauguração do Centro Nacional de Treinamento de Atletismo (CNTA) em Cascavel (PR), onde fez as declarações.

Para o presidente, o Parlamento saberá aperfeiçoar a medida que chegou a integrar proposta do ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, mas foi retirada do texto final do pacote anticrime. “Homens sérios, honestos, chefes de família, trabalhadores, não podem após o cumprimento da missão, receber a visita do oficial de justiça para começar a responder um inquérito, ou até mesmo receber uma ordem de prisão preventiva”, defendeu Bolsonaro.

Sobre a questão do armamento e os três decretos que pretende editar, Bolsonaro disse à plateia presente que “arma é um direito de vocês”. “A arma evita que um governante de plantão queira ser ditador. Eu não tenho medo do povo armado, muito pelo contrário, me sinto muito bem, estar ao lado do povo de bem armado no nosso Brasil”, disse Bolsonaro.

O presidente, que tem feito críticas ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB), voltou a dizer que o governo federal “não aumentou em nada os impostos, diferente de um Estado ali do lado”. Em janeiro, conforme reforma fiscal administrativa e fiscal do Estado, a Assembleia Legislativa paulista autorizou a revogação de benefícios fiscais em diversos produtos, com exceção de alimentos e remédios da cesta básica.

Estadão Conteúdo


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

ES registra 9 óbitos e 1.089 casos de covid-19 em 24h

Dia a dia

hacker preso no ES pela PF paga fiança e é solto

Tec

Satélite brasileiro será lançado na madrugada deste domingo

Dia a dia

Com ações inclusivas, Maranata leva ensinamentos a pessoas com deficiência