Bolsonaro diz que vai conversar sobre preços com associação de supermercados - ES360

Bolsonaro diz que vai conversar sobre preços com associação de supermercados

Ele ponderou que não pretende dar "canetada em lugar nenhum", nem interferir na área econômica

Presidente da República, Jair Bolsonaro. Foto: Marcos Corrêa/PR
Presidente da República, Jair Bolsonaro. Foto: Marcos Corrêa/PR

 

Com receio do risco de inflação, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (4), que tem buscado conversar com associações de supermercados para tentar baixar os preços de produtos que compõem a cesta básica. Ele ponderou que não pretende dar “canetada em lugar nenhum”, nem interferir na área econômica. O comentário foi feito durante viagem a Registro (SP).

> Consumidores sentem impacto do aumento de preços dos produtos nos supermercados

“Está subindo arroz, feijão? Só para vocês saberem, já conversei com intermediários, vou conversar logo mais com a associação de supermercados”, disse o presidente. “Estou conversando para ver se os produtos da cesta básica aí… estou pedindo um sacrifício, patriotismo para os grandes donos de supermercados para manter na menor margem de lucro”, afirmou.

> Supermercados têm sofrido pressão para aumentar preços por política pró-exportação

Na mesma conversa, Bolsonaro indicou que tem receio do risco de inflação. “Não é no grito, ninguém vai dar canetada em lugar nenhum… porque veio o auxílio emergencial, o pessoal começou a gastar um pouco mais, muito papel na praça, a inflação vem”, declarou. “A melhor maneira de controlar a economia é não interferindo. Porque se interferir, dar canetada, não dá certo”, ponderou na sequência.

Estadão Conteúdo


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

De cada seis notificações, um resultado é positivo para covid-19 no ES

Dia a dia

Espírito Santo terá muita chuva nos próximos dias; veja a previsão

Dia a dia

Espírito Santo tem 15 mortes pelo coronavírus em 24 horas

Dia a dia

Rio Doce: em cinco anos, apenas 34% das famílias cadastradas receberam indenização