Aumenta número de transplantes de órgãos no ES - ES360

Aumenta número de transplantes de órgãos no ES

Os procedimentos mais realizados entre janeiro e novembro deste ano foram os transplantes de córnea

O número de transplantes de órgãos realizados entre janeiro e novembro deste ano aumentou 5% em relação ao mesmo período de 2018 no Espírito Santo. Foram realizados, em 2019, 417 transplantes, sendo 211 de córnea, 95 de rim, 23 de fígado, 11 de coração, 17 de escleras e 60 de medula óssea. Já em 2018, de janeiro a novembro, o Estado realizou 393 procedimentos.

Considerando-se os transplantes realizados em todo o país, também houve aumento. No período de janeiro a setembro de 2018, foram realizados 19.820 procedimentos. No mesmo período de 2019, foram 20.292.

No Espírito Santo, também foi registrado um crescimento em relação ao número de entrevistas familiares realizadas pelas Comissões Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT). Foram feitas 122 entrevistas em 2019, registrando um aumento de 56,4% em relação ao mesmo período de 2018, com 78 entrevistas.

Por outro lado, houve um aumento de 11% de recusa em relação ao ano anterior. É um percentual que representa o total de 66 recusas familiares.

A coordenadora da Central de Transplantes do Espírito Santo, Maria Machado, afirma que ainda há muita resistência em relação à doação de órgãos.

“Nós estamos enfrentando o ‘não’ das famílias. Por mais que discutamos o tema, os familiares ainda têm muita dificuldade de entender o protocolo. A morte é um tabu, mas é importante que as pessoas entendam a importância da doação e realizem o desejo do doador”, frisou.

No Brasil, a doação de órgãos de pessoas que tiveram morte cerebral só é realizada por meio de autorização familiar.

Mais notícias
Dia a dia

Espírito Santo pode registrar mais de 450 mortes por covid-19 em janeiro

Dia a dia

Prefeituras da Grande Vitória decidem não voltar com aulas presenciais em fevereiro

Dinheiro

Bolsonaro desafia Doria a zerar imposto sobre combustível

País

Bolsonaro chama Doria de ‘moleque’ e diz que ele e Maia querem sua cadeira para ‘roubar’