Aulas presencias na Serra só voltam em 2021, decide prefeitura - ES360

Aulas presencias na Serra só voltam em 2021, decide prefeitura

As atividades pedagógicas não presenciais vão continuar sendo distribuídas e serão usadas para computar a carga horária obrigatória de 800 horas

As atividades escolares estão disponível no site da prefeitura. Foto: Acervo pessoal/PMS
As atividades escolares estão disponível no site da prefeitura. Foto: Acervo pessoal/PMS

A prefeitura da Serra decidiu que as escolas municipais não vão retomar as aulas presencias neste ano. Segundo a Secretaria Municipal de Educação da Serra (Sedu), a decisão foi tomada após diálogo com as famílias dos estudantes, as autoridades municipais de saúde, o corpo docente, além de estudos técnicos e do acompanhamento do cenário epidemiológico do estado. Cariacica, Vitória e Colatina, por exemplo, também não marcaram retorno das aulas.

A decisão, de acordo com a prefeitura, tem por objetivo resguardar os estudantes e os profissionais que atuam nas Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEFs) e nos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), bem como garantir a continuidade do processo de ensino e aprendizagem de maneira remota.

Para a subsecretária pedagógica da Serra, Elizângela Fraga, um retorno no final do mês de outubro – conforme a previsão de volta do ensino fundamental na rede estadual – não representaria um impacto positivo na rotina do estudante. Ela explica que com a necessidade de realizar as aulas em sistema de rodízio, parte dos alunos iria frequentar presencialmente apenas dez dias letivos até o fim do ano. A outra parcela não conseguiria sequer participar da aula presencial, tendo em vista a quantidade de alunos atendidos pela rede municipal. Ao todo, são 70.645 matriculados.

Os estudantes vão continuar recebendo atividades não presenciais. Elas serão usadas para computar a carga horária obrigatória de 800 horas, que tem previsão de ser concluída até a segunda quinzena de dezembro.

Mais de 80% dos pais não enviariam filhos neste ano

A decisão do retorno só em 2021 foi feita a partir de um processo de consulta a todos os segmentos da comunidade escolar (pais e responsáveis pelos alunos, diretores, professores, conselhos e entidades), ocorrido do mês de setembro até o dia 2 de outubro.

Os resultados das pesquisas, quando foram ouvidas 21.598 pessoas, apontaram que a comunidade escolar e as famílias dos alunos se manifestaram contrárias ao retorno. A consulta identificou que 86,2% dos responsáveis pelos estudantes do ensino fundamental não querem a abertura das escolas este ano. Já na educação infantil 78,9% das famílias também não enviariam seus filhos para as creches, caso abrissem.

A consulta foi organizada por meio de um grupo de trabalho composto por profissionais da Sedu, Conselho Municipal de Educação, diretores de escola, entre outros segmentos.

Segundo a secretária de Educação da Serra, Munira Bortolini, a prefeitura está fazendo de tudo para preservar vidas, e o momento pede paciência e trabalho em conjunto. “A grandiosidade da Serra está nos números populacionais, em sua gente e na gestão responsável.  A Sedu vai continuar com as atividades pedagógicas não presenciais até o mês de dezembro de 2020, a fim de preservar e salvar vidas”.

Adequação das estruturas

A prefeitura informou que, durante esse período de ausência dos estudantes e professores nas unidades de ensino, tem realizado adaptações nas estruturas físicas das escolas para o ano letivo de 2021, como a instalação de pias e torneiras extras para facilitar a higienização das mãos.

Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) também já foram licitados pela prefeitura para que sejam distribuídos às escolas, garantindo um retorno, quando for possível, ainda mais seguro.

“As unidades de ensino também já estão sendo orientadas a fazer demarcações no chão com fitas adesivas, para sinalizar a distância correta entre as pessoas. Material gráfico com orientações de prevenção contra o novo coronavírus também será distribuído às famílias, EMEFs e CMEIs”, adiantou a secretária de Educação, Munira Bortolini.

Municípios que não vão retornar em 2020

Após a liberação do governo do Estado para retorno das aulas a partir do último dia 5 de outubro, algumas prefeituras resolverão não retomar as aulas presenciais em 2020. Na Grande Vitória, Cariacica já havia anunciado que manteria as aulas da educação infantil e ensino fundamental de forma remota. Vitória publicou decreto mantendo a suspensão das aulas em outubro e ia tomar a decisão após conversar com a comunidade escolar. No interior, Colatina também já decidiu que as aulas presencias só retornam em 2021.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Política

Bolsonaro acusa Doria de aumentar impostos na pandemia

Cult

Conselho de política cultural emite nota de repúdio contra vereador Luiz Emanuel

Eleições 2020

Pesquisa Futura: Coser, Gandini e Pazolini estão empatados em Vitória

País

Incêndio atinge hospital de Bonsucesso, no Rio