Atuação da Força Nacional em Cariacica pode ser prorrogada, diz Moro - ES360

Atuação da Força Nacional em Cariacica pode ser prorrogada, diz Moro

Em visita ao Espírito Santo, o ministro disse que o prazo inicial de seis meses para a atuação dos agentes poderá ser prorrogado

Renato Casagrande recebe e cumprimenta o ministro Sergio Moro e o senador Marcos do Val. Foto: Secom/Hélio Filho
Renato Casagrande recebe e cumprimenta o ministro Sergio Moro e o senador Marcos do Val. Foto: Secom/Hélio Filho

A atuação da Força Nacional em Cariacica poderá ser prorrogada por tempo indeterminado. Em visita ao Espírito Santo, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, disse que o prazo inicial de seis meses para a atuação dos agentes poderá ser prorrogado devido à análise dos indicadores de segurança no município.

Moro se reuniu com o governador do estado, Renato Casagrande (PSB), e com o prefeito de Cariacica, Juninho (PPS), para acompanhar um balanço da atuação da Força Nacional na cidade, que acontece há mais de dois meses.

“O programa vai durar enquanto nós entendermos que ele é necessário para obter resultados consolidados. A gente tinha uma previsão inicial de seis meses, mas é um período prorrogável. O que nós queremos é encontrar resultados consistentes”, disse o ministro.

> Moro se cala sobre vídeo que compara STF a hiena

O ministro não detalhou por quanto tempo o programa “Em Frente Brasil” deve ser prorrogado e também destacou que outras cidades do país podem receber a medida. Além de Cariacica, as cidades de Goiânia-GO, Paulista-PE, Ananindeua-PA e São José dos Pinhais (PR) recebem o projeto do Governo Federal.

“O que se objetiva é uma redução significativa nos índices de violência nas cinco cidades do país que têm o programa. E há redução significativa em diversos crimes. A avaliação será com base nesses dados. Não é uma corrida de 100 metros, o que nós queremos é um resultado consistente em um período significativo de tempo”, afirmou Moro.

Apesar de afirmar que houve redução significativa nos indicadores de criminalidade, Cariacica teve aumento no número de homicídios em outubro. Segundo o ministro, neste mês já foram registrados 15 assassinatos no município, contra nove no mesmo período do ano passado. Já em setembro foram 10 homicídios, contra 19 no mesmo mês em 2018.

“No mês de outubro houve um número maior de homicídios em Cariacica. Pode ser que haja essa variação, com um mês com número maior e outro mês com número menor. Em setembro a queda foi expressiva. Mas, além dos assassinatos, também consideramos outros indicadores, como os crimes contra patrimônio, que vêm caindo”, disse.

Com relação a uma fala do presidente Jair Bolsonaro (PSL) de que poderia tirar a Força Nacional de Cariacica devido a denúncias feitas contra os agentes por meio do Disque-Denúncia, Moro disse que foi um “mal entendido”.

Durante a visita, o ministro também visitou a cidade de Cariacica e acompanhou a atuação do sistema de videomonitoramento da cidade, além da atuação da Força Nacional.

Sub cooperação PRF

Na visita de Sérgio Moro a Vitória, foi assinado um termo de cooperação entre a Polícia Rodoviária Federal e a Secretaria de Segurança Pública do Estado para o compartilhamento de imagens de videomonitoramento. Segundo o secretário de Segurança Pública, Roberto de Sá, o acordo é sem custos e vai permitir que o estado tenha acesso às imagens das rodovias federais. “Eles também terão acesso às nossas imagens. Para nós, será muito bom ter essas imagens de rodovias para a polícia local monitorar alvos em deslocamento para outros estados”, afirmou o secretário. A expectativa é de que as imagens sejam acessadas até o fim do ano. Paralelo a isto, o secretário afirmou que o governo do estado está em fase de estudos para a implantação de um projeto de cerco eletrônico.

Mais notícias
Dia a dia

Rota ilegal causa multa de mil caminhões em Vitória

Dia a dia

Obra na Praia do Canto começa na segunda-feira

Política

Deputado Erick Musso fala após ‘subir montanha’

Dia a dia

Crianças desenham o futuro em muros de Jardim da Penha