Assembleia Legislativa autoriza governo a assumir ex-sede do Saldanha - ES360

Assembleia Legislativa autoriza governo a assumir ex-sede do Saldanha

O prédio, que pertence à prefeitura da capital, será cedido ao Estado que, em troca, passará para o município a posse de um imóvel no bairro Bento Ferreira

Local terá museu virtual, lanchonete e espaços de convivência. Foto: Chico Guedes
Saldanha da Gama, localizada no Forte São João, no Centro de Vitória. Foto: Chico Guedes

 

A sede do Saldanha da Gama, localizada no Forte São João, no Centro de Vitória, poderá ser transferida para o Governo do Estado após ficar anos sem uso. O prédio, que pertence à prefeitura da capital, será cedido ao Estado, que, em troca, passará para o município a posse de um imóvel no bairro Bento Ferreira.

A Assembleia Legislativa autorizou a permuta entre o governo estadual e Vitória. A ideia é utilizar o espaço para sediar a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), que atualmente funciona em salas de um edifício na Mata da Praia. O lugar contará ainda com um um museu virtual com cenas históricas do Forte São João e um espaço gastronômico para os visitantes.

A utilização do Saldanha da Gama faz parte de um projeto do governo estadual de levar seu núcleo administrativo para o Centro de Vitória, o que também promoveria uma economia em aluguéis em outras áreas da cidade.

A sede do clube Saldanha da Gama está inutilizada desde 2014. O prédio pertence ao município de Vitória e chegou a ser doado, em 2018, ao Sesc (Serviço Social do Comércio), do qual faz parte a Fecomércio-ES (Federação do Comércio do Espírito Santo). No entanto, com incertezas sobre a disponibilidade de recursos, já em 2019, a Fecomércio-ES desistiu de assumir a gestão do espaço, que seria transformado em um museu. Com isso, o Saldanha da Gama voltou a ser de responsabilidade da prefeitura de Vitória. 

A autorização concedida pela Assembleia Legislativa para que o Estado e a prefeitura realizem uma permuta que inclui a cessão do Saldanha para o governo estadual põe fim a essa novela conturbada envolvendo um dos prédios históricos da cidade.O imóvel foi construído no início do século 18 para ser uma fortaleza e proteger a ilha de Vitória de invasões estrangeiras – por isso recebeu o nome de Forte São João. Funcionou depois como cassino e, em 1931, foi comprado pelo clube. Sob a tutela do arquiteto André Carloni, ganhou um passadiço e nova sacada. O salão foi ampliado e a fachada, modificada.

Na década de 40 do século passado, o prédio contava com cinco pavimentos, incluindo o térreo e duas torres. Em 1984, o imóvel foi tombado pelo município; a muralha do clube é tombada em nível estadual. Em 2006, a Prefeitura de Vitória comprou o prédio, que chegou a ser sede da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer e ponto turístico aberto à visitação pública.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Eleições 2020

Com suspeita de covid, Gandini suspende agenda de campanha em Vitória

Eleições 2020

Após denúncias de disparos em massa, 256 contas são banidas do WhatsApp

País

DOU extra traz revogação de decreto sobre PPI na saúde pública

Dia a dia

Covid-19: Espírito Santo tem 9 mortes e 788 casos em 24 horas