Assembleia Legislativa autoriza governo a assumir ex-sede do Saldanha - ES360

Assembleia Legislativa autoriza governo a assumir ex-sede do Saldanha

O prédio, que pertence à prefeitura da capital, será cedido ao Estado que, em troca, passará para o município a posse de um imóvel no bairro Bento Ferreira

Local terá museu virtual, lanchonete e espaços de convivência. Foto: Chico Guedes
Saldanha da Gama, localizada no Forte São João, no Centro de Vitória. Foto: Chico Guedes

 

A sede do Saldanha da Gama, localizada no Forte São João, no Centro de Vitória, poderá ser transferida para o Governo do Estado após ficar anos sem uso. O prédio, que pertence à prefeitura da capital, será cedido ao Estado, que, em troca, passará para o município a posse de um imóvel no bairro Bento Ferreira.

A Assembleia Legislativa autorizou a permuta entre o governo estadual e Vitória. A ideia é utilizar o espaço para sediar a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), que atualmente funciona em salas de um edifício na Mata da Praia. O lugar contará ainda com um um museu virtual com cenas históricas do Forte São João e um espaço gastronômico para os visitantes.

A utilização do Saldanha da Gama faz parte de um projeto do governo estadual de levar seu núcleo administrativo para o Centro de Vitória, o que também promoveria uma economia em aluguéis em outras áreas da cidade.

A sede do clube Saldanha da Gama está inutilizada desde 2014. O prédio pertence ao município de Vitória e chegou a ser doado, em 2018, ao Sesc (Serviço Social do Comércio), do qual faz parte a Fecomércio-ES (Federação do Comércio do Espírito Santo). No entanto, com incertezas sobre a disponibilidade de recursos, já em 2019, a Fecomércio-ES desistiu de assumir a gestão do espaço, que seria transformado em um museu. Com isso, o Saldanha da Gama voltou a ser de responsabilidade da prefeitura de Vitória. 

A autorização concedida pela Assembleia Legislativa para que o Estado e a prefeitura realizem uma permuta que inclui a cessão do Saldanha para o governo estadual põe fim a essa novela conturbada envolvendo um dos prédios históricos da cidade.O imóvel foi construído no início do século 18 para ser uma fortaleza e proteger a ilha de Vitória de invasões estrangeiras – por isso recebeu o nome de Forte São João. Funcionou depois como cassino e, em 1931, foi comprado pelo clube. Sob a tutela do arquiteto André Carloni, ganhou um passadiço e nova sacada. O salão foi ampliado e a fachada, modificada.

Na década de 40 do século passado, o prédio contava com cinco pavimentos, incluindo o térreo e duas torres. Em 1984, o imóvel foi tombado pelo município; a muralha do clube é tombada em nível estadual. Em 2006, a Prefeitura de Vitória comprou o prédio, que chegou a ser sede da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer e ponto turístico aberto à visitação pública.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

41 municípios capixabas não adquiriram todos os EPIs para o retorno das aulas

Mundo

Portugal proíbe voos do Brasil até 14 de fevereiro por variante do coronavírus

Dia a dia

TCE-ES vai fiscalizar ações de combate à covid- 19

País

Butantan diz que vai exportar 54 milhões de doses de vacina se Saúde não indicar compra