Após investigação do FBI, agentes que trabalhariam na posse de Biden são afastados - ES360

Após investigação do FBI, agentes que trabalhariam na posse de Biden são afastados

Dois deles postaram e enviaram mensagens de texto com opiniões extremistas sobre o evento

Autoridades do Pentágono afirmaram que 12 membros da Guarda Nacional que trabalhariam na posse do presidente eleito Joe Biden foram afastados após uma investigação do FBI. Entre eles, dois postaram e enviaram mensagens de texto com opiniões extremistas sobre o evento, que acontece na quarta-feira, 20.

As autoridades não relataram nenhuma ameaça específica a Biden.

Duas autoridades americanas disseram à agência Associated Press que todos os 12 tinham laços com grupos de milícia de direita ou postaram opiniões extremistas online. As autoridades, um oficial sênior da inteligência e um oficial do Exército, não disseram a qual grupo marginal os membros da Guarda pertenciam ou a que unidade serviam. Os oficiais não foram autorizados a falar publicamente e falaram com a agência Associated Press sob a condição de anonimato.

O general Daniel Hokanson, chefe da Guarda Nacional, confirmou na terça-feira que os membros da Guarda foram removidos e mandados para casa, mas disse que apenas dois fizeam comentários ou compartilharam textos inadequados relacionados à posse. Os outros 10 foram afastados por “outras questões potenciais”, que podem envolver atividades criminosas anteriores, mas não diretamente relacionadas ao evento inaugural.

Os funcionários disseram à Associated Press que todos foram removidos por causa de “responsabilidades de segurança”.

Estadão Conteúdo


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Síndrome respiratória grave tende a aumentar no ES

Dia a dia

Instituto emite alerta de chuva forte no Espírito Santo

Dinheiro

Senado quer ouvir Cade sobre suposto cartel de combustíveis

Dia a dia

Com ações inclusivas, Maranata leva ensinamentos a pessoas com deficiência