Al-Duhail, do ex-palmeirense Dudu, encara o Al Ahly pelo direito de pegar o Bayern - ES360

Al-Duhail, do ex-palmeirense Dudu, encara o Al Ahly pelo direito de pegar o Bayern

Anfitrião do Catar duela com o representante africano na 2ª partida do Mundial de Clubes; quem passar vai para a semifinal diante do rival alemão

O adversário do Bayern de Munique nas semifinais do Mundial de Clubes no Catar sairá de um confronto entre um clube com experiência no torneio e outro novato. A partir das 15h30 (horário de Brasília) desta quinta-feira, o Al-Duhail, representante do país-sede e time do atacante Dudu, vai encarar o egípcio Al Ahly, o atual vencedor da Liga dos Campeões da África. O duelo está marcado para o Estádio Education City, em Al Rayyan.

Dudu vai jogar o Mundial de Clubes pelo Al Duhail, do Catar. Foto: Divulgação/Al Duhail
Dudu vai jogar o Mundial de Clubes pelo Al Duhail, do Catar. Foto: Divulgação/Al Duhail

Estreante, o Al-Duhail pulou uma etapa no Mundial. A decisão do Auckland City, o atual campeão da Oceania, de não disputar o torneio em função dos protocolos do governo neozelandês de combate ao coronavírus, colocou o time direto nas quartas de final, sem nem precisar entrar em campo.

Denominado Lekhwiya até 2017, o Al-Duhail é dominante no Catar, tendo vencido 7 das últimas 10 edições da liga nacional. E aposta em Dudu, que está emprestado pelo Palmeiras. São, até agora, 11 gols em 18 duelos disputados pelo clube. Mas não é o único brasileiro a se destacar por lá.

O outro é o meia Edmilson Júnior. Com 26 anos, ele se profissionalizou na Bélgica e está em sua terceira temporada no time do Catar. E tem números até melhores do que os de Dudu na atual, com 12 gols marcados em 12 jogos disputados. Assim, eles são as principais esperanças do técnico francês Sabri Lamouchi para a primeira participação do clube no Mundial.

Ela começará diante de um “veterano”. O Al Ahly disputa pela sexta vez o torneio, ainda que a primeira desde 2013. O time egípcio, nove vezes campeão africano e dono de 42 títulos nacionais, foi semifinalista em 2006 e 2012, quando parou nos dois últimos brasileiros campeões mundiais: Internacional e Corinthians, respectivamente.

O time é dirigido por Pitso Mosimane, à frente do clube desde as semifinais da Liga dos Campeões da África, e que tem cinco jogadores da seleção egípcia que foi a Copa do Mundo de 2018 no seu elenco: o goleiro El-Shennawy, os defensores Saad Samir e Ayman Ashraf e os atacantes Mahmoud Kahraba e Marwan Mohsen.

Com eles, tentará ampliar uma série invicta de 31 jogos, com 25 vitórias e 6 empates. Caso a sustente e avance, terá pela frente o Bayern de Munique, na próxima segunda-feira.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Esportes

Para Colômbia, é ‘improvável’ receber voo da Seleção Brasileira

Política

Cartório 'censura' escritura da mansão de Flávio Bolsonaro

Dia a dia

Governo do ES abre mais de 10 leitos de UTI em Vitória

País

Maioria dos bares respeita restrição no Rio