Ações de segurança marcam primeiros dias de governo de Pazolini em Vitória - ES360

Ações de segurança marcam primeiros dias de governo de Pazolini em Vitória

O prefeito comandou ações com a Guarda Municipal no dia da posse, na sexta-feira (01), no sábado (02) e no domingo na capital ao lado do secretário de Segurança Ícaro Ruginski

Prefeito Pazolini comanda ações de segurança na capital. Foto: Divulgação

Os primeiros dias da gestão do novo prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini, foram marcados por ações de segurança. O prefeito comandou ações com a Guarda Municipal no dia da posse, na sexta-feira (01), no sábado (02) e no domingo na capital ao lado do secretário de Segurança, Ícaro Ruginski.

Uma das ações resultou na prisão de dois homens que tinham furtado uma moto, no sábado. A dupla foi flagrada pelo sistema de videomonitoramento e um deles já tem passagem por tentativa de homicídio quando adolescente. Um rapaz de 18 anos foi preso e um menor de 13 anos foi apreendido. Eles foram encaminhados para a Delegacia Regional de Vitória. A ação do sábado ocorreu pela manhã nas praias de Vitória.

As ações dos agentes também tiveram critério educativo, para dar segurança e conforto aos moradores e turistas da capital. Na sexta-feira, foi feito um trabalho preventivo em bairros como Jardim Camburi, Atlântica Ville, Goiabeiras, Vila Rubim, Praia do Canto, Jardim da Penha, Bento Ferreira, Caratoíra, Ilha das Caieiras, Ilha de Santa Maria, Centro, Grande Santo Antônio e toda a região de São Pedro.

No domingo à noite o prefeito e o secretário de Segurança foram até a praça Costa Pereira, no centro de Vitória, para acompanhar o trabalho preventivo feito pela Guarda Municipal.

 


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Enfermeira que debochou de vacina é demitida da Santa Casa

País

Lewandowski abre inquérito para apurar atuação de Pazuello em Manaus

Dia a dia

Covid-19: Espírito Santo registra 48 óbitos em 24 horas; total chega a 5.716

Dinheiro

Se endividamento for menor, pode debater auxílio de até 6 meses, afirma Maia