A solidariedade se multiplica durante a pandemia do novo coronavírus - ES360

A solidariedade se multiplica durante a pandemia do novo coronavírus

Distribuição de alimentos e doações de produtos de higiene pessoal são algumas ações que se espalharam pelo Espírito Santo

Carol Tannure distribuindo cestas básicas. Foto: Arquivo Pessoal
Carol Tannure distribuindo cestas básicas. Foto: Reprodução/Instagram

 

A solidariedade se tornou uma das principais armas contra a pandemia do novo coronavírus. A sensibilidade em relação ao sofrimento alheio tem feito surgir muitas iniciativas voltadas a apoiar e ajudar os mais necessitados. Distribuição de alimentos, doações de produtos de higiene pessoal, consultas gratuitas são algumas ações que se espalharam pelo Espírito Santo.

Uma corrente do bem tem somado esforços e mostra que com cooperação, a empatia prevalece. Nesse cenário está a funcionária pública Carol Tannure. Desde o início da pandemia, inquieta com as dificuldades enfrentadas pelos mais necessitados, ela se uniu a um grupo de voluntários e começou a fazer a diferença na vida de muita gente. O Corrente do Bem Vila Velha, que se uniu virtualmente em abril para amenizar a fome das pessoas em situação de rua e vendedores ambulantes, já distribuiu mais de 10 mil refeições. Os interessados em ajudar podem entrar em contato no Instagram ou no telefone (27) 9 8815-0889.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Nos primeiros dias de isolamento, me lembro de ter chorado a cada vez que passava um vendedor de picolé gritando na rua. Não conseguia deixar de pensar em como eles iriam sobreviver, se as pessoas não estavam na rua. Me lembro também das crises que tinha pensando nas pessoas em situação de rua, que já tinham tão pouco, e passariam a ter praticamente nada. Foi quando pensamos que poderíamos fazer alguma coisa … e fizemos, MUITAS! Hoje fazem exatos 2 meses das nossas primeiras marmitas. Começamos pensando em distribuir algumas, e a @correntedobem_vv já completou 6.000 refeições distribuídas! Começamos também pensando que levaríamos só alimento … mas Deus é tão maravilhoso que conseguimos levar muito mais do que isso! Levamos comida com afeto. Levamos uma palavra de carinho, e de preocupação. Roupas, cestas básicas. Montamos currículos, ajudamos a conseguir empregos. Levamos móveis, ajudamos a montar um lar aos que nunca tiveram (o vídeo a seguir foi do dia que entregamos cama, geladeira, móveis e roupas de cama ao nosso querido “homem aranha”). Me arrisco até em dizer que levamos ESPERANÇA. Como é lindo poder pensar isso né?! A maioria das nossas ações não é mostrada aqui, mas eu posso garantir … elas estarão guardadas pra sempre em nossos corações, e nos deles também ❤️

Uma publicação compartilhada por Carol Tannure (@caroltannure) em

“Nos primeiros dias de isolamento, me lembro de ter chorado a cada vez que passava um vendedor de picolé gritando na rua. Não conseguia deixar de pensar em como eles iriam sobreviver, se as pessoas não estavam na rua. Me lembro também das crises que tinha pensando nas pessoas em situação de rua, que já tinham tão pouco, e passariam a ter praticamente nada. Foi quando pensamos que poderíamos fazer alguma coisa”, relatou Carol.

Não satisfeita com o trabalho que já realiza distribuindo marmitas, a funcionária pública também começou a reunir doações para montar cestas básicas e material de higiene para doação. A vontade de ajudar só tem crescido. Nos últimos dias, junto a um grupo de amigos, Carol abriu os olhos para uma categoria de trabalho muito afetada pela pandemia: os entregadores de aplicativo. A demanda no número de entregas pode ter aumentado, mas o número de pessoas que viram esta função como uma renda nesse período também cresceu e, junto com isso, vieram as necessidades.

Junto ao grupo de amigos, a funcionária pública percorreu pontos de concentração de entregadores de aplicativo, em Vitória e Vila Velha, para distribuir 200 kits. “A nossa proposta nessa ação não foi doar cestas básicas, mas, no caso dos entregadores, quisemos dar alimentos que pudessem carregar. Colocamos muita coisa! Um pacote de pão de cachorro-quente, um pacote de pão de forma, um pote de maionese, uma lata de sardinha, uma lata de atum, biscoito cream cracker, biscoito maisena, biscoito recheado, uma caixa de bis, um vidro de álcool em miniatura, pacote de macarrão, molho de tomate, barrinha de cereal e suco”.

Uma tonelada de amor

São em momentos de ruptura que surgem as ações solidárias como um mecanismo de minimizar os danos diante da fragilidade humana e de se reconhecer no lugar do outro. As amigas Paola Barbosa e Flávia Lunz, que já trazem na bagagem uma história com o voluntariado, criaram o projeto “Uma tonelada de amor” durante a pandemia do coronavírus para levar alimento a comunidades fragilizadas.


A representante comercial Paola Barbosa lembra que no início do isolamento social foi com Flávia levar 10 cestas básicas para uma amiga distribuir no bairro Jabaeté, em Vila Velha. A iniciativa atraiu muitos moradores que precisavam de ajuda, mais do que a doação poderia atender naquele instante. Foi então que as amigas se mobilizaram para arrecadar alimentos para montar mais 20 cestas. A expectativa foi superada em apenas três dias. A surpresa foi que elas conseguiram triplicar as cestas. Então, surgiu o “Uma tonelada de amor”, que ganhou as redes sociais e em nove ações na Grande Vitória já conseguiu distribuir mais de 360 cestas básicas, alcançando cerca de 1.800 pessoas.

“Nossa intenção não é apenas entregar as doações. Nesse momento de relaxamento do isolamento social, claro que continuamos com todas as seguranças recomendadas, mas aproveitamos para poder conversar com essas pessoas. Queremos poder levar expectativas. Durante o bate-papo que temos, buscamos saber se estão empregados, ou não. Isso faz com que possamos ajudar caso saibamos de alguma vaga de emprego. A ideia é poder ir além”, revelou Paola.

A ideia vai ganhando formas. Visando essa vontade de ajudar essas pessoas necessitadas na busca por emprego, um programador digital está desenvolvendo um programa para cadastro das famílias atendidas. Outra parceria que entrou para a somar foi a com o Colégio Americano. No último sábado foi realizado um Drive Thru Solidário na unidade de Laranjeiras, na Serra, onde foram arrecadados mais de 800kg de alimentos, livros e material de higiene. No dia 1º de agosto, vai acontecer o Drive Thru Solidário na unidade da Praia da Costa, em Vila Velha. As doações também são arrecadas por meio do PicPay (@umatoneladadeamor). No Instagram do projeto é possível acompanhar a prestação de contas de todas as doações realizadas.

“O sentimento é de ser útil, de saber que estamos matando a fome de pessoas, levando esperança e nos mostrando disponíveis para elas. Não é só o físico, mas sim o espiritual e o emocional que são atendidos nesses momentos. É muito bacana ver que tem aparecido padres, psicólogos, pedagogos e tantos outros dispostos a ser voluntários e nos ajudar nessa missão”, frisou a representante comercial.

Projeto RM Solidária. Foto: Arquivo Pessoal
Projeto RM Solidária. Foto: Arquivo Pessoal

RM Solidária

Os efeitos sociais da pandemia do coronavírus também despertaram na empresária Rayanne Martins a vontade de ajudar os necessitados. Ao lado da mãe e de amigos, todo mês, desde o início do isolamento social, eles levam cestas básicas para distribuir em Jabaeté, em Vila Velha. Até o momento, mais de 100 famílias já foram alcançadas pelo projeto RM Solidária.

O grupo arrecada doações em dinheiro, materiais de higiene pessoal, roupas e alimentos. Os interessados em colaborar podem fazer transferências pelo PicPay (@raymartinsbrand) ou levar os produtos RM Beauty Studio, localizados na Rua Marques de Montalvão, n 11, quadra G, em Jardim da Penha, Vitória. As ações acontecem no último sábado de cada mês e a iniciativa busca atender grupos de famílias diferentes. Também é possível entrar em contato nos telefones (27) 9 9623-8804 e 9 9222-5992.

“Nós ajudamos, mas os maiores beneficiados somos nós. Meu coração se enche de orgulho em ver tanto esforço e amor de toda a equipe para ajudar. Sabemos que tem muita gente precisando, mas ver de perto por algumas horinhas é diferente. Uma realidade e tão perto de nós. Não precisamos ir tão longe para ajudar e levar amor e um pouco de esperança para essas famílias. Nunca foi sobre mim, sobre nós, sempre foi sobre Ele. Deus tem direcionado e nos surpreendido em cada ação”, frisou a empresária.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Ibope: aprovação de Bolsonaro sobe de 29% para 40% em 9 meses

Dia a dia

ArcelorMittal abre Plano de Demissão Voluntária

Dia a dia

Espírito Santo registra sete mortes pela covid-19 e 762 casos em 24 horas

Dia a dia

MP do TCU pede suspensão de promoção de 606 procuradores da AGU