A importância do Facebook na comunicação política - ES360

A importância do Facebook na comunicação política

O uso do Facebook para políticos tem ajudado bastante no posicionamento de campanhas políticas e de conteúdo de candidatos já eleitos. Recentemente, segundo a própria rede social, mais de cem milhões de brasileiros fazem uso dela mensalmente.

A rede social mais popular do mundo apresenta alto número de pessoas conectadas, sendo uma das principais plataformas digitais para marcas, empresas, influenciadores e políticos.

Durante as eleições, as pessoas se encontram nessa rede social para debater assuntos políticos, postar suas ideias e compartilhar notícias de candidatos, projetos de governos e denúncias públicas.

O uso do Facebook para políticos

Além de permite a postagem de links e textos, a time line da rede social permite veicular vídeos, animação, imagens e transmissão ao vivo que ajudam a informar e atrair a atenção das pessoas. A opção de NOTAS é uma ótima estratégia para quem necessita criar indexação de conteúdo no Google.

Na formação de audiência é possível identificar adeptos às propostas do candidato político e também a respeito da presença de eleitores.

Sabemos que a quantidade de eleitores presentes nessa mídia é cada vez maior. A rede social mais popular do mundo serve como um espaço para discussões políticas gerando oportunidades para estratégia de marketing político.

Planejamento

Por outro lado é importante ter cuidados e obedecer às regras estabelecidas pela legislação para não a ver excessos e evitar a divulgação de compartilhamento de “fake news”.

É importante posicionar corretamente e de maneira respeitável a imagem do candidato político, do mandatário do cargo e partido. Ao mesmo tempo que a rede social pode ser usada para distribuir conteúdo para informar e convencer atuais e novos eleitores, ela pode ser usada como um dos porta vozes ou veículos oficiais do conteúdo político.

No planejamento é importante determinar um cronograma editorial para a publicação a atualização da rede social. O Facebook para políticos exige o mesmo cuidado quando implementando para divulgar marcas e produtos.

Benefícios

Por meio das redes sociais é possível identificar públicos específicos de todos os tipos, contribuindo para que o político possa gerar uma estratégia mais personalizada e direcionada.

Essa possibilidade criou campo para os políticos de aproximarem mais do seu público eleitor. Além da aproximação, a rede social proporciona um custo mais baixo para veiculação de material digital de campanha em comparação com o material impresso ou televisivo.

Depois do custo, o benefício gerado tem a ver com o alcance da mensagem. Enquanto que um folheto impresso pode ser jogado no chão e desperdiçado, um link ou postagem compartilhados na rede social, mesmo não sendo clicada por todas, mantém o interesse da audiência que busca informações e direcionamentos para o voto.

Outro elemento de extrema importância é a campacidade que a plataforma permite de segmentar uma mensagem. Atingir seu público de maneira assertiva, com a comunicação correta, é fundamental para o sucesso de qualquer projeto político.

O Facebook também permite espaço mais democrático de acesso e opiniões. O contato público entre o perfil do candidato político e o público torna-se mais fácil e intenso. Inclusive com a presença de haters. Até quem não pretende votar em determinado candidato pode visitar o perfil do candidato concorrente para comparar informações.

É importante ressaltar que além do perfil público do político ter voz, os perfis dos usuários também possuem vozes ativas e a possibilidade de compartilhar informações influenciando opiniões.

Regras na rede social

O Facebook para políticos exige respeito à legislação eleitoral e às regras da própria rede social. Ao abrir uma página de pessoa pública no Facebook, é importante abrir como perfil público ou político para iniciar a campanha.

Perfis e páginas já abertos anteriormente podem ser mantidos e realimentados para novas campanhas políticas ou para manter a comunicação durante o cumprimento do mandato.

A abertura de uma página de pessoa pública oferece elementos do Facebook que auxiliarão a identificação de público, faixa etária, geolocalização, gênero e aplicações.

Atualmente, considerando as Políticas de Publicidade do Facebook, em relação aos anúncios veiculados dentro da rede social, os mesmo não podem ter conteúdos que explorem questões ligadas à política para uso comercial.

Ou seja, não é permitido pedir votos, falar mal de outros candidatos e de outros partidos. Isso poderá gerar punição por parte da rede social.

Até a campanha de 2016 era proibido o uso de anúncio pago (Facebook Ads), porém desde de 2018 é permitido o seu uso, o que aumenta em grande espaço as potencialidades da ferraenta.

Atenção, caso a página oficial do candidato e do partido desrespeitem as regras eleitorais, a página e candidatura podem sofrer punições, no caso da rede social podendo gerar interrupção da veiculação da página irregular e o pagamento de multa cobrado pelo TRE.

Todo tipo de impulsionamento pago deve ser realizado antes do período de campanha, mesmo utilizando formulários de contato. Na campanha de 2018 os anúncios pagos só podiam ser realizados via CNPJ de campanha ou CPF do candidato, desde que o valor fosse revertido como doação para a campanha a título de prestação de contas.

Como realizar o marketing político no Facebook?

O Facebook para políticos deve concentrar esforços em conteúdo e tráfego. Em comparação com as outras redes sociais, ela mais multiplataforma, ou seja, permite a publicação e utilização de textos, vídeos, imagens, áudios, entre outros.

Estratégias de marketing de conteúdo ajudam a buscar o engajamento do público. É importante produzir trabalhos de textos e imagens com alta qualidade que ofereçam informação e direcionem o público.

Conclusão

As estratégias devem buscar proximidade com o público e com os eleitores. A rede social existe para gerar aproximação com o público, permitindo responder os questionamentos do público interessado na mensagem.

A forma mais eficaz de responder perguntas públicas é realizando transmissões ao vivo. A transmissão cria proximidade e ajuda a humanizar a imagem do candidato e do partido político. Sempre buscando responder os anseios e dúvidas da população.

No lugar das transmissões é possível fazer vídeos curtos abordando os principais tópicos da campanha que estejam em debate.

Numa visão geral a rede social para políticos deve servir o público com informações, imagens, infográficos, vídeos, transmissões ao vivo e demais tipos de conteúdo que convertam a audiência em seguidores e eleitores.

Todo o planejamento deve seguir um cronograma editorial para manter a página atualizada diariamente ou, pelo menos, semanalmente. É importante acompanhar os principais acontecimentos opinando sobre as dúvidas e demandas mais essenciais da sociedade.

Caso necessite de ajuda para montar uma estratégia de marketing digital para políticos, não hesite em entrar em contato conosco.

Comandado pelo Consultor em Marketing Político Darlan Campos, o RepúblicaCast é um podcast de marketing político e estratégias eleitorais. Seu objetivo é contribuir com informação e conteúdo de qualidade direcionado para profissionais de marketing político/digital, políticos, pré-pré-candidatos, dirigentes partidários, militantes e interessados na temática. Quer construir uma campanha eleitoral de sucesso? Seja bem vindo ao universo República Cast.

Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do ES360.

Mais Colunas