A experiência de uma doadora de sangue que já salvou 8 vidas em 2020 - ES360

A experiência de uma doadora de sangue que já salvou 8 vidas em 2020

O voluntário frequente pode doar sangue mais de uma vez no ano, obedecendo o intervalo, que deve ser de dois em dois meses para homens e de três em três meses para mulheres

No dia nacional do Doador de Sangue, Ministério da Saúde reforça importância da doação. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Doação de sangue. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Há cinco anos, Simonia Aparecida de Oliveira Diniz, supervisora financeiro do Hospital Estadual de Urgência e Emergência (HEUE), mobilizou um grupo de amigos para doação de sangue. A causa, na época, era voltada para uma amiga, que na ocasião, passaria por um procedimento cirúrgico, sendo necessário alcançar o máximo possível de doadores.

O gesto de amor praticado pela supervisora não parou por aí. Agora ela é doadora regular e afirma que realiza três doações por ano desde então. “Doar sangue faz bem para quem recebe e também para quem doa. Nos sentimos felizes, pois é possível salvar vidas”, disse.

A iniciativa da Simonia Aparecida de Oliveira Diniz em 2020 já possibilitou que ela ajudasse oito pessoas. “Doar sangue é tão rápido. Se pudesse, eu doaria todo mês”, afirmou a supervisora.

O voluntário frequente pode doar sangue mais de uma vez no ano, obedecendo o intervalo, que deve ser de dois em dois meses para homens e de três em três meses para mulheres. Cada doação pode salvar até quatro vidas.

Referência em trauma

O Hospital Estadual de Urgência e Emergência, unidade gerenciada pela Pró-Saúde em Vitória, é referência em atendimento ao trauma no Espírito Santo, e realiza em média 400 transfusões de sangue todo mês.

Durante o ano, a Unidade tem realizado ações educativas, com objetivo de estimular as pessoas a irem até o Banco de Sangue do Espírito Santo para doação. “Realizamos uma abordagem nas Recepções, durante as visitas nos leitos e também nas pesquisas que realizamos no hospital, com intenção de sensibilizar às pessoas a irem doar sangue”, destacou Flaviane Alves da Silva Mattos, responsável pela Agência Transfusional do HEUE.

Segundo Flaviane Alves da Silva, o estoque de sangue no Centro de Hemoterapia e Hematologia do Espírito Santo (Hemoes) está baixíssimo e, por esse motivo, uma força-tarefa foi desenvolvida no HEUE, com a intenção de as pessoas doarem. “Mesmo com o pedido de isolamento social, os acidentes domésticos e automobilísticos têm acontecido, por isso, é indispensável que os Bancos de Sangue estejam abastecidos, com a finalidade de atender os hospitais”, explicou.

O Hospital Estadual de Urgência e Emergência já possui sua própria Agência Transfusional, composta por médica hematologista, farmacêutica bioquímica e técnicos de Laboratório. A Agência é responsável pelo armazenamento dos hemocomponentes (hemácias, plaquetas, plasmas e crioprecipitados), além de encarregada de buscar bolsas de sangue no Hemoes, para a realização de transfusões nos pacientes atendidos no HEUE.


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Covid-19: Espírito Santo tem 15 óbitos em 24 horas; total chega a 3.755

Dia a dia

Casagrande se diz surpreso com recuo da aquisição das vacinas pelo governo

País

CCJ do Senado aprova indicação de Kassio Marques para o STF

País

Doria divulga vídeo de reunião com Pazuello para provar acordo