42% dos domicílios do Espírito Santo receberam auxílio do governo em junho - ES360

42% dos domicílios do Espírito Santo receberam auxílio do governo em junho

Auxílio médio foi de R$ 831 e número de auxílios cresceu em relação a maio. Pesquisa do IBGE identificou ainda que 128 mil trabalhadores ficaram sem remuneração no mês de junho no estado

Pesquisa realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apontou que, em junho, 42,8% dos domicílios do Espírito Santo receberam algum auxílio monetário do governo relacionado à pandemia do coronavírus, o que equivale a 584 mil famílias. A Pnad Covid-19 apontou que o número de famílias auxiliadas cresceu em relação a maio, quando 38% dos lares (516 mil casas) receberam auxílio. O valor médio recebido foi de R$ 831, contra R$ 812 em maio. Entre os auxílios estão o Auxílio Emergencial e a complementação do governo pelo Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda.

A pesquisa do IBGE apontou ainda que do total de 1,762 milhão de ocupados, 281 mil estavam afastados do trabalho que tinham (48 mil pessoas a menos do que no mês anterior) e 206 mil estavam afastados devido ao distanciamento social (51 mil a menos do que em maio), representado 11,7% de afastados na população ocupada. No mês anterior, esse índice era de 14,5%. Foi verificado que entre os 281 mil ocupados que estavam afastados do trabalho no Espírito Santo, aproximadamente 128 mil pessoas estavam sem a remuneração do trabalho (34 mil pessoas a menos do que no mês anterior).

Home office

Dados levantados pelo IBGE apontam ainda que no Espírito Santo, do total de ocupados, 1,481 milhão (84,1%) não estavam afastados do trabalho. Entre os não afastados, 138 mil pessoas (9,3%) estavam trabalhando de forma remota (à distância, em home office), 3 mil pessoas a mais do que em maio. Além disso, em junho, 26,7% da população ocupada (ou 396 mil pessoas) trabalharam menos do que a sua jornada habitual, enquanto 3,2% (47 mil pessoas) trabalharam acima da média habitual. A média semanal de horas efetivamente trabalhadas (31 horas) ficou abaixo da média habitual (40,6 horas).

Sintomas da covid

A Pnad Covid-19 estimou ainda o número de pessoas que tiveram sintomas da covid-19. A pesquisa identificou que 369 mil pessoas (9,1% da população) apresentaram algum dos sintomas pesquisados de síndromes gripais. E estimou, ainda, que 62 mil pessoas (1,5% da população) apresentaram sintomas conjugados de síndrome gripal que podiam estar associados à covid-19 (perda de cheiro ou sabor ou febre, tosse e dificuldade de respirar ou febre, tosse e dor no peito).


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais notícias
Dia a dia

Estado reverte mais leitos de UTI e ocupação se mantém em 73,68%

Dia a dia

Espírito Santo registra 19 mortes por covid-19 em 24 horas

Dia a dia

Unipró lança curso de preparação para o Ifes 100% online

Bem-estar

A Escola Bíblica Dominical sob a perspectiva da Igreja Cristã Maranata